Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Crédito | 25/07/2014 | 19h30

Banco Central adota medidas e libera mais recursos

Mais bancos poderão destinar parte do recolhimento obrigatório para o PSI

REDAÇÃO AB, COM AGÊNCIA BRASIL

O Banco Central anunciou na sexta-feira, 25, medidas para melhorar a distribuição de liquidez (recursos disponíveis) na economia. Foram alteradas normas de recolhimentos compulsórios – dinheiro que os bancos são obrigados a deixar depositados no BC, sobre recursos a prazo e à vista. O impacto da medida é estimado em R$ 30 bilhões que poderão ser destinados a diversas operações de crédito.

Entre as mudanças nas regras, está a que amplia o número de bancos que poderão lançar mão de parte (até 20%) de seus recolhimentos compulsórios sobre depósitos à vista para empréstimos e financiamentos que sejam enquadráveis no Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Para isso, o BC reduziu de R$ 6 bilhões para R$ 3 bilhões o valor do Patrimônio de Referência Nível 1 das instituições. A medida tem impacto projetado em cerca de R$ 200 milhões. Atualmente, os bancos têm R$ 15 bilhões aplicados no PSI, que inclui financiamentos de caminhões, ônibus e máquinas agrícolas.

Segundo o BC, para adotar as medidas foi considerada a evolução dos recolhimentos compulsórios nos últimos anos, que passou de R$ 194 bilhões ao fim de 2009 para cerca de R$ 405 bilhões atualmente. O banco também cita a recente moderação na concessão do crédito, a inadimplência em patamares relativamente baixos e o recuo do nível de risco no sistema financeiro nacional.

Para o chefe do departamento de regulação do sistema financeiro do Banco Central, Sérgio Odilon dos Anjos, o impacto potencial de liberação de recursos com essa medida é de R$ 10 bilhões, mas cada banco vai decidir se usa esses recursos liberados para oferecer novos empréstimos aos clientes, por exemplo. “É preciso aguardar o comportamento da demanda e dos bancos”, disse.

“Claro que medidas para liberar mais crédito sempre ajudam, mas não é possível saber quanto. Além de ter mais recursos, os bancos precisam querer emprestar mais e os consumidores precisam estar confiantes para tomar crédito”, comentou Rogelio Golfarb, vice-presidente de relações institucionais da Ford América do Sul.

Outra medida anunciada no pacote é para estimular a compra de carteira de pequenos bancos por instituições maiores. Para isso, o BC decidiu deixar sem remuneração 50% dos depósitos compulsórios a prazo. Se o banco não quiser ficar sem a remuneração, poderá usar esses recursos para comprar carteiras de crédito de outras instituições financeiras e oferecer empréstimos para compra de carros e motos a clientes.

A quantidade de bancos que poderão vender as carteiras de crédito foi ampliada de 58 para 134. Segundo o BC, instituições com Patrimônio de Referência Nível 1, na posição de dezembro de 2013, inferior a R$ 3,5 bilhões poderão vender as carteiras, sem restrições.



Tags: Crédito, financiamento, PSI, Banco Central.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência