Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Líderes perdem 2,5 pontos de participação

Mercado | 03/07/2014 | 20h25

Líderes perdem 2,5 pontos de participação

Renault, Hyundai e Toyota são as únicas que crescem no semestre

PEDRO KUTNEY, AB

Entre as 10 marcas de veículos leves mais vendidas do País no primeiro semestre de 2014, o tombo generalizado do mercado de 7,3% foi bem mais sentido no alto do ranking, onde estão as quatro maiores. Juntas, Fiat, General Motors, Volkswagen e Ford (nesta ordem de colocação) perderam quase 2,5 pontos porcentuais de participação na comparação com os mesmos seis meses de 2013, que foram conquistados por aquelas que vêm imediatamente abaixo, da quinta à sétima posições da tabela, respectivamente Renault, Hyundai e Toyota.

São justamente essas três as únicas marcas entre as 10 mais vendidas que registraram crescimento de vendas no primeiro semestre. Nesse universo que representa 92% dos veículos leves vendidos no País, todas as outras sete fabricantes apresentaram quedas nos emplacamentos, sendo que cinco acima da média geral de 7,3%, uma em linha com o mercado e somente uma teve retração abaixo do índice médio.

Houve apenas uma mudança na ordem de colocação no ranking, mas importante: a General Motors subiu da terceira para a segunda posição, ainda que com retração nas vendas de 8,6% em relação ao mesmo período de 2013, que fez a fabricante perde 0,24 ponto porcentual de market share, para 17,64%.

Ainda assim, foi menos do que perdeu a Volkswagen, com o maior recuo de vendas entre as quatro líderes de mercado. Os emplacamentos da marca caíram 15% e a participação declinou 1,6 ponto, para 17,61% – ainda que por pouco, foi o suficiente para perder para a GM a segunda posição do ranking, descendo para a terceira colocação no semestre. Essa movimentação acontece mais por problemas da Volkswagen do que méritos da GM. Este ano, a marca alemã parou de fabricar dois veículos de volume, o Gol G4 e a Kombi. Além disso, as vendas do Up! só começaram em março. Com preços pouco atraentes em relação à concorrência, o novo compacto ainda não emplacou – foi apenas o 12º mais vendido em junho.

Apesar de também apresentar queda de vendas acima da média de mercado, a Fiat segue líder absoluta, com participação de 21,6% no semestre, o que significou perda de 0,63 ponto porcentual em relação ao mesmo intervalo do ano passado. Os emplacamentos recuaram quase 10% na comparação semestre contra semestre. Se por um lado a marca não apresentou lançamentos relevantes, ainda consegue fazer boa política de preços para continuar no topo.

A Ford não teve novidades e ficou na mesma na primeira metade deste ano: a retração de vendas de 7,48% foi quase igual a do mercado em geral e o market share permaneceu estacionado em 9% (houve imperceptível recuo de 0,02 ponto), mantendo a marca na quarta posição.

OS GANHADORES

Na quinta posição, com boa política de preços a Renault teve o segundo maior crescimento no período de vendas fracas. Os emplacamentos da marca avançaram quase 8%, com ganho de quase 1 ponto de participação, que subiu para 6,96%.

Logo atrás, com share também 1 ponto maior em relação ao ano passado, para 6,89%, a Hyundai continua a surfar no sucesso do HB20, o sexto carro mais vendido do País no primeiro semestre, e agora com a ajuda do também montado no Brasil ix35, cujas vendas cresceram 25,5% este ano. Com essa combinação, a marca coreana manteve sua sexta colocação e obteve o maior crescimento de emplacamentos no período, de 9,7%.

Com crescimento mais modesto, de 3,5% no semestre, a Toyota lidera entre as marcas japonesas, na sétima posição do ranking, graças à estratégia de ter pendido para o segmento de maior volume do mercado brasileiro com o compacto Etios, que já preenche o topo da capacidade de produção da fábrica de Sorocaba (SP). O lançamento da nova geração do Corolla também ajudou na conquista de mais 0,55 ponto de market share, para 5,32%.

Logo abaixo vêm as outras duas marcas japonesas. Na oitava posição, a Honda teve queda de 5,5% nos emplacamentos do primeiro semestre, mas manteve sua participação de 3,9%quase intacta. Explica o recuo a renovação no mesmo período de dois dos seus três modelos mais vendidos, o Fit e o Civic.

A Nissan vivencia experiência parecida, com início de sua produção nacional na nova fábrica em Resende (RJ) e a introdução do novo March. Com isso, teve a maior queda de vendas entre as 10 mais do ranking, de 16,2% na comparação semestral de 2014 contra 2013. Mas se manteve na nona posição, com participação de quase 2% (1,96%).

Sem novidades, a Citroën permaneceu estacionada na décima posição, com share de 1,88% (imperceptível perda de 0,04 ponto), mas seu volume de emplacamentos no semestre caiu consideráveis 9,5%. Ainda assim, está melhor que sua marca irmã na PSA, a Peugeot, cujas vendas caíram 18,7% e fizeram a francesa descer para a 12ª posição do mercado, com participação de apenas 1,43% (perda de 0,2 ponto), pela primeira vez atrás até da Mitsubishi, 11ª mais vendida com 1,78% do mercado total, com leve crescimento de 0,36% no período.

Ranking



Tags: Mercado, vendas, emplacamentos, ranking, Fiat, Volkswagen, GM, Ford, Renault, Hyundai, Toyota, Honda, Nissan, Citroën.

Comentários

  • Fabio

    Isso mostra que finalmente os consumidores estão pensando mais em custo x benefício. O valor que é pago em carros nacionais são equivalentes aos carros das outras montadores e que possuem mais conteúdo e tecnologia. Tomara que isso traga mais bom senso e que os preços deixem de ser abusivos como são em nosso País.

  • Jailson

    Isto mostra a atual economia do país, onde o crédito esta cada vez mais escasso, e a população endividada, onde as montadoras que investiram recentemente em produtos com maior volume de vendas, como foi o caso da Toyota com o Etios e a Hyundai com o HB20, conseguem ter crescimento, pelo fato de ter números menos expressivos em anos anteriores, facilitando assim o número positivo, que se considerarmos os investimentos para estes novos modelos, foi pouco. Mas concordo com a opinião de Fábio, o brasileiro esta mais antenado ao custo benefício, assim como também as montadoras, prova disso, foram os últimos lançamentos, falta apenas a VW.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência