Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Segurança | 30/06/2014 | 19h20

GM convoca mais 8 milhões de veículos por problema em ignição

Além de novo chamado, fabricante cria fundo de indenização para vítimas

REDAÇÃO AB

A General Motors anunciou na segunda-feira, 30, aumento do número de veículos envolvidos em megarecall global por problema na chave de ignição, que faz com que veículos desliguem sozinho. Além dos 2,6 milhões de carros que já haviam sido convocados este ano - mais de uma década após a constatação do problema (leia aqui) -, estão sendo chamados agora mais 8,4 milhões de veículos pelo mesmo defeito. Dentre eles, modelos fabricados entre 1997 e 2014. Até o momento a montadora não estendeu o chamado a nenhum carro vendido no Brasil.

Segundo informações da agência Automotive News, tinham sido constatados até então 54 acidentes e 13 mortes atribuídos à falha. Com mais modelos envolvidos, este número subiu. Há novos relatos de sete colisões que deixaram mais oito feridos e três mortos. Em comunicado, a GM diz que não há ainda evidência conclusiva de que a falha na ignição tenha provocado estes acidentes.

O defeito, além de fazer com que o motor do carro pare, desativa sistemas eletrônicos, como airbags. Segundo informações do jornal "The Times", dos 13 acidentes previamente relacionados a esse problema, em 12 deles as bolsas de ar não abriram.

Nesta nova campanha há modelos envolvidos de diversas marcas da General Motors. Os carros mais antigos foram fabricados entre 1997 e 2008. Dentre eles, há Chevrolet Malibu montados de 1997 a 2005; Oldsmobile Intrigue fabricados entre 1998 e 2002; Oldsmobile Alero feitos de 1999 a 2004; Pontiac Grand Am que saíram da linha de produção de 1999 a 2005; Pontiac Grand Prix feitos de 2004 a 2008; além de Chevrolet Impala e Monte Carlo produzidos de 2000 a 2005. Além destes, Cadillac SRX fabricados entre 2004 e 2006 e Cadillac CTS, feitos de 2003 a 2014, que totalizam 616,1 mil veículos, também foram convocados para troca na chave de ignição.

Da primeira convocação, feita com os 2,6 milhões de veículos, fazem parte os modelos Saturn Ion de 2003 a 2007; Chevrolet Cobalt de 2005 a 2010; Pontiac Solstice de 2006 a 2010; Pontiac G5 de 2007 a 2010; Saturn Sky de 2007 a 2010; e Chevrolet HHR fabricados de 2006 a 2011. Abrange também Daewoo G2X feitos de 2007 a 2009; e Opel/Vauxhall GT produzidos de 2007 a 2011 e que foram vendidos na Europa.

Com a ampliação da campanha global, a GM aumentou suas expectativas de custos para o segundo trimestre, para US$ 1,2 bilhão, US$ 500 milhões a mais do que previa. A marca já gastou US$ 1,3 bilhão no primeiro trimestre para reparo dos 2,6 milhões de carros avaliados com defeito na ignição.

Segundo levantamento da Automotive News, com mais este chamado, a GM já soma este ano 54 convocações, cobrindo aproximadamente 28,9 milhões de veículos globalmente. Alguns dos carros foram chamados mais de uma vez para correções.

INDENIZAÇÃO

Ainda na segunda-feira, 30, a General Motors anunciou a criação de um fundo de indenização paras vítimas deste megarecall. Segundo informações divulgadas pelo site Detroit News, qualquer pessoa que tenha sido lesada fisicamente ou tenha perdido familiares poderá fazer sua reclamação junto a este fundo.

Em entrevista à imprensa, o advogado Ken Feinberg, que será responsável pela administração do fundo, se recusou a prever o quanto a GM deverá desembolsar com as indenizações. “A empresa terá de pagar o quanto for preciso”, declarou. A montadora não vai colocar nenhum valor máximo antes que todas as reivindicações sejam revistas.

"A GM compreende e quer fazer a coisa certa. A coisa certa é pagar as pessoas que podem documentar suas reivindicações, e isso é um desafio", disse Feinberg. "Eu não ousaria fazer estimativas de quantas mortes ou quantos feridos estão envolvidos até que todas as pessoas arquivem os pedidos de indenizações."

Segundo informações do Detroit News, o fundo vai ressarcir as famílias com pelo menos US$ 1 milhão para cada morte constatada (ao menos 13 já foram divulgadas), juntamente com US$ 300 mil que deverão ser pagos aos cônjuges sobreviventes e filhos dos mortos pela dor e sofrimento.

Feinberg disse que o fundo vai aceitar pedidos de indenizações de 1º de agosto a 3 de dezembro deste ano. A GM planeja pagar os sinistros de 90 a 180 dias após julgá-los coerentes. As vítimas poderão acompanhar o desenrolar dos processos por meio de site criado pela GM (veja aqui).



Tags: GM, General Motors, recall, segurança, ignição, Estados Unidos, ressarcimento, indenização.

Comentários

  • Cicero

    O protecionismo e arrogância norte americana é realmente impressionante. Agora o discurso muda, após tentar atribuir a responsabilidade à "antiga GM". O governo norte americano irá obrigar o presidente da GM a pedir desculpas públicas? Como foi feito com a Toyota?

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência