Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 29/04/2014 | 19h57

Crédito para veículos míngua R$ 2,7 bi no ano

Carteira do segmento tem maior retração dos últimos dois anos

PEDRO KUTNEY, AB

Começa a aparecer na carteira de crédito dos bancos a queda das vendas de veículos no País. Os contratos ativos de financiamentos para o segmento somavam quase R$ 190 bilhões em março último, a maior retração dos últimos dois. O recuo foi de 1,5% sobre o valor acumulado em 12 meses, equivalente a uma redução líquida de R$ 2,7 bilhões no estoque de crédito para compra de carros, segundo balanço divulgado pelo Banco Central na terça-feira, 29. Isso significa que houve mais liquidações de dívidas do que novas concessões de empréstimos, que atingiram R$ 6,6 bilhões no mês.

Montadoras e concessionários dizem que a maior restrição à aprovação de novos financiamentos é uma das causas importantes da queda das vendas de veículos este ano, enquanto os bancos afirmam que esse movimento negativo da carteira é apenas reflexo da retração da demanda. Em evento sobre a economia brasileira organizado pela Câmara de Deputados em Brasília na terça-feira, 29, o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, avaliou que não houve redução de empréstimos para compra de carros. “O volume total de financiamentos tem relação com a própria demanda. Os carros nos pátios não podem ser explicados unicamente pelo canal do crédito”, disse Trabuco, segundo publicou o jornal Valor Econômico.

A associação dos fabricantes de veículos, a Anfavea, negocia com o governo a criação de um fundo garantidor, uma espécie de seguro em caso de inadimplência, para dar aos bancos maior segurança na concessão de financiamentos. “Não queremos, necessariamente, que se amplie o prazo para compras financiadas. A ideia é debater a oferta de crédito em si e medidas que facilitem, por exemplo, a retomada do bem em caso de inadimplência”, afirmou o presidente da Anfavea, Luiz Moan, em sua participação no V Fórum da Indústria Automobilística, realizado por Automotive Business na segunda-feira, 28. Segundo o Valor, Trabuco confirmou essas negociações: “Há um diálogo entre o governo, os bancos e a Anfavea no sentido de criar condições para que o crédito seja mais acessível”, disse o executivo.

A inadimplência por certo não é a causa de rigor maior dos bancos, já que os atrasos de pagamentos superiores a 90 dias em financiamentos de veículos caíram 1,3 ponto nos últimos 12 meses, para 5% do valor dos contratos.

Outro fator que pode explicar a retração do crédito é a alta do custo dos financiamentos. Em março passado, a média dos juros cobrados para compra de veículos novos e usados era de 23,5% ao ano, uma elevação substancial de 3,8 pontos porcentuais em relação ao que era cobrado no mesmo mês de 2013. Como a inadimplência mostra viés de baixa, o que explica a puxada dos juros é o avanço da taxa básica pelo BC, que para combater a inflação já subiu a Selic de 7,25% em março do ano passado para 11% este mês.



Tags: Crédito, financiamento, juro, prazo, inadimplência, mercado.

Comentários

  • Fernando Torre

    Caros amigos da Automotive Business, infelizmente vivemos num pais de ilusões, talvez num pais do mágico de Oz, ou seja, muita história para o povo os principalmente eleitores deste ano. Agora dizem em criar um fundo Garantidor, e consequentemente irão aumentar os juros, pois alguém tem que pagar a conta. Parece o bolsa família (ao qual deveremos ter reajustes) que muitos se beneficiam pois vivem em locais a beira da miséria, concordo plenamente mas como tbm alimentamos outras que usam da bolsa para aumentar a renda e para tanto não pensam sequer em ter a carteira assinada. Amigos, desculpe o desabafo pois sei que deveríamos explanar mais o assunto em pauta e não este. Agradeço mesmo assim por poder participar com minhas opiniões nessa tão conceituada coluna. Abraços Fernando

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência