Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 14/04/2014 | 15h48

Freudenberg registra recorde de vendas em 2013

Receita operacional chega a € 6,62 bilhões, mas lucro cai 8,8%

REDAÇÃO AB

O Grupo Freudenberg apurou vendas recordes em 2013 ao encerrar o período com faturamento de € 6,62 bilhões, 4,74% a mais do que o registrado no ano anterior, informa em comunicado. Apesar do faturamento positivo, o EBIT, lucro antes dos impostos, recuou 13,9% no fechamento de 2013, para € 457,3 milhões, enquanto o lucro líquido teve queda de 8,8%, ao totalizar € 398,8 milhões.

Para o presidente do conselho de administração do Grupo Freudenberg, Mohsen Sohi, o resultado consolida a empresa em uma fase inovadora e bem sucedida: “Apesar de um ambiente econômico desafiador e dos efeitos negativos da taxa de câmbio, crescemos de forma lucrativa e sustentável. As vendas aumentaram em quase todas as áreas de negócio”.

Em seu relatório, o grupo destacou o Brasil, onde anotou vendas recordes, ao atingir faturamento líquido de € 692 milhões, aumento de 10,4% com relação ao resultado do ano anterior. Ainda em 2013, a empresa investiu R$ 27 milhões no País, para a ampliação e modernização dos parques industriais na divisão Freudenberg Não Tecidos e Freidenberg-NOK, além da inauguração da unidade da divisão de filtragem em Jacareí (SP) e o novo escritório do grupo na região localizada em Alphaville (SP).

“Tivemos um ano muito positivo, de grandes conquistas e investimentos na nossa estrutura corporativa e fábricas, o que deverá contribuir de maneira significativa para os nossos resultados nos próximos anos. Em 2014, continuaremos a investir na mesma proporção, pois para o grupo é essencial elevar a representatividade local no faturamento mundial e nossa perspectiva é continuar a crescer bem acima do PIB“, afirma Juan Carlos Borchardt, representante regional do Grupo Freudenberg na América do Sul.

No relatório financeiro externo, pela primeira vez o grupo levou em consideração as novas normas IFRS 10, 11 e 12 de relatórios financeiros. Desta forma, as joint ventures em que a Freudenberg não exerce controle industrial não são incluídas nas demonstrações financeiras consolidadas como 50% de participação, mas foram consolidadas pela primeira vez pelo método de equivalência patrimonial. Isso resulta em mudanças significativas no que diz respeito aos valores de vendas, total de ativos e número de colaboradores. As empresas NOK-Freudenberg Group China, TrelleborgVibracoustic e Freudenberg NOK Mecatrônica (agora Enmech) foram consolidados pelo método de equivalência patrimonial.



Tags: Freudenberg, balanço, receita, lucro, faturamento.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência