Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Segurança | 19/03/2014 | 18h45

Toyota pagará multa de US$ 1,2 bilhão ao Departamento de Justiça Americano

Punição é aplicada por enganar consumidores em campanha de recall

REDAÇÃO AB

A Toyota terá de pagar US$ 1,2 bilhão ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos por ter enganado consumidores em campanha de recall no país. É a maior multa cobrada de um fabricante de veículos e deverá ser quitada até o próximo dia 25.

De acordo com anúncio do órgão americano na terça-feira, 18, a fabricante de veículos japonesa admite que enganou os consumidores americanos ao omitir informações e ao fazer falsas declarações sobre dois problemas de segurança, sendo que cada um deles causava aceleração involuntária dos carros. O acordo entre a Toyota e o Departamento de Justiça encerra uma investigação de quatro anos das autoridades norte-americanas.

Eric Holder, procurador-geral dos Estados Unidos, declarou em entrevista coletiva à imprensa americana que “a conduta da Toyota foi vergonhosa” e por conta disso o alto valor da multa serve para que “outras montadoras não repitam o erro da montadora”. “Um recall pode prejudicar a reputação de um marca, mas enganar o consumidor traz prejuízos ainda mais duradouros”, apontou.

Os mesmos promotores que cuidaram do caso da Toyota, que ficam em escritório em Manhattan, vão tratar do atraso da GM, de mais de uma década, em convocar campanha de recall nos Estados Unidos (leia aqui).

Segundo informações da agência de notícias Reuters, em abril de 2010, a Toyota já havia concordado em pagar multa de quase US$ 16,5 milhões ao departamento de transportes e segurança viária americano, o NHTSA, por não ter notificado as autoridades sobre a falha de aceleração. A multa foi também a maior cobrada pelo departamento.

Carly Schaffner, porta-voz da Toyota, declarou à Reuters que a “empresa tem cooperado com a Procuradoria dos Estados Unidos nesta questão por mais de quatro anos, que neste período fez mudanças fundamentais para torna-se uma organização mais sensível e focada em consumidores e que está empenhada em melhoras contínuas.”



Tags: Toyota, recall, segurança, Estados Unidos, GM, General Motors.

Comentários

  • Monteiro

    E aqui no Brasil às empresas deitam e rolam. Ninguém está preocupado com a segurança do motorista, Nem as montadoras (que devem omitir centenas de problemas) aos órgãos de Defesa do Consumidor, nem o próprio órgão que sequer exige de forma séria que as montadoras tenham um alto índice de Atendimento aos Recalls...ACORDA BRASIL!!!

  • Gian

    A Toyota é tão boa que até enganar bem ela quer !!! Depois do lamentável discurso em que disse que o preço alto de seus carros aqui no Brasil eram pq NÓS achávamos que era o preço certo para ser pago, eu nunca comprarei um Toyota na minha vida e falo mal a todos sobre essa mediocre empresa !!! ... acho que isso que aconteceu mostra claramente como esses pilantras são !!!!

  • NSA

    A 10-month investigation by NASA engineers found no evidence of electronic errors or software glitches as the cause of thousands of sudden acceleration incidents reported over the last decade. "Engenheiros da NASA não encontraram nenhuma evidencia de erro eletrônico ou falhas no software como a causa dos milhares de incidentes de súbita aceleração reportados ao longo de 10 anos", engraçado que esse problema só foi encontrado nos estados unidos, mas até agora ninguém conseguiu provar exatamente oque vem causando isso...PURA SABOTAGEM. Os carros da GM dão problema no mundo inteiro, mecânica porca, airbag defeituoso motou 300 pessoas e até hoje aposto que não foram processados.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência