Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Lançamentos | 13/03/2014 | 22h47

Tiggo automático chega por R$ 57.990

SUV da Chery traz caixa de quatro marchas com opção de trocas manuais

MÁRIO CURCIO, AB

As concessionárias Chery começam a receber a opção automática do utilitário esportivo Tiggo. O carro tem preço sugerido de R$ 57.990. A versão manual sai por R$ 52.900. “Até o fim do ano esperamos vender 5 mil unidades do Tiggo, sendo 2,5 mil com o novo câmbio automático”, afirma o gerente de pós-venda da futura fabricante nacional, Maurício Buzetto.

“Pelo fato de o carro ser montado no Uruguai, poderemos ajustar com rapidez a proporção de automáticos e manuais se a demanda crescer”, diz Buzetto. A nova caixa tem quatro marchas apenas, mas, quando a alavanca é posta na posição D e deslocada à direita, permite trocas manuais e sequenciais.

Com seu preço, o Tiggo automático se torna uma opção atrativa ao seu concorrente mais próximo, o Lifan X60, que tem transmissão manual, preço inicial de R$ 55.990 e seguro grátis até o fim de abril (veja aqui). Concorrentes nacionais como EcoSport e Duster têm opção automática, mas a preços bem mais altos quando equipados com esse item. O Ford parte de R$ 70.390 e o Renault, de R$ 66,9 mil.

O Tiggo utiliza motor 2.0 a gasolina de 138 cv de potência. Mede 4,39 metros, tem bom espaço para cinco pessoas, porta-malas de 435 litros, vários porta-objetos e lista generosa de itens de série, que inclui controlador automático de velocidade, vidros, travas e retrovisores com acionamento elétrico, ar-condicionado, toca-CDs com entrada USB e controles no volante. Este tem também ajuste de altura.

O retrovisor traz bússola e indicadores de pressão atmosférica e altitude, coisas que combinam com o espírito de um utilitário esportivo, mas a tração é dianteira apenas.

DESEMPENHO E CONSUMO

A opção automática é sempre bem-vinda num carro de mais de R$ 50 mil, mas roubou a agilidade do novo Tiggo. O carro tem acelerações e retomadas lentas, seja em uso urbano, seja em trechos de subida com curvas. Mesmo as trocas de marcha feitas em modo manual são um tanto demoradas.

Segundo o executivo da Chery, o desenvolvimento e homologação do carro automático para o Brasil incluiu a adequação dos componentes ao combustível vendido aqui e também ajuste na curva de torque do motor, mas as relações de marcha são as mesmas do carro para os chineses. Segundo a Chery, o Tiggo atinge 170 km, faz 8 km/l na cidade e 10,56 km/l na estrada. As suspensões são macias, mas não molengas como ocorre muitas vezes com modelos concebidos ou montados na China.

Chery
Tiggo tem ar-condicionado, trio elétrico e vários itens de série. Nova opção automática tem quatro marchas e permite trocas manuais pela alavanca. Espaço interno é bom também para ocupantes traseiros e porta-malas leva 435 litros (fotos: Mário Curcio e divulgação)

A CHERY E O MERCADO LOCAL

No ano passado, a Chery vendeu no Brasil 1.456 unidades do Tiggo e 8.067 carros ao todo. Há quase um ano a empresa lançou o modelo Celer nas versões hatch e sedã. Na época, acreditou que fecharia 2013 com 7 mil unidades do carrinho, somadas as versões hatch e sedã, mas não conseguiu emplacar nem a metade desse volume.

O modelo será o primeiro a sair da fábrica de Jacareí (SP), que está atrasada. A previsão de começar a montagem em abril já foi adiada para o “segundo semestre”, o que soa vago demais. A boa notícia, segundo Buzetto, é que é a Chery decidiu produzir no Brasil a geração atualizada, que passou por face-lift, e não mais aquela que é vendida no Brasil desde o ano passado.

A rede atual da Chery tem 70 concessionárias em plena operação. Em março do ano passado eram 68.



Tags: Chery, Tiggo automático, Lifan, X60, Renault, Duster, Ford, EcoSport, Celer, Jacareí.

Comentários

  • roberto da silva rocha

    Vai, Tiggo, quando a Honda começou a vender o Grande Civic, os volkeiros e Gemezeiros torceram o nariz, hoje o c4, o Peugeot 408 e os asiáticos tambem vão passar pelas mesmas provações: é o rito de passagem, quem chegou primeiro te lugar cativo, vide o Amarok, que mesmo a VW sendo noviça na produção de PikUps levou muita agente a pensar que era um grande carro. kkkkkk.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência