Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Toyota Corolla 2015 está chegando à rede
Carroceria tem desenho bem mais atraente que o da geração anterior

Lançamentos | 12/03/2014 | 03h17

Toyota Corolla 2015 está chegando à rede

Novo modelo ficou melhor, mais espaçoso e parte agora de R$ 66.570

MÁRIO CURCIO, AB | De Campinas (SP)

Com direito a uns passinhos de disco music arriscados pelo CEO para a América Latina e Caribe, Steve St. Angelo, a Toyota apresentou a linha 2015 do sedã Corolla. O carro chega no dia 14 de março à rede em três versões, GLi 1.8 (R$ 66.570), XEi 2.0 (R$ 79.990) e Altis (R$ 92.900). Os novos valores estão em média 2% mais altos e a versão de entrada GLi sai por R$ 69.990 na opção automática.

Ambos os motores são flexíveis e deram adeus ao tanquinho de gasolina para partida a frio. No lugar dele entra em cena o sistema de injeção da Delphi, que pré-aquece o combustível sempre que necessário, dispensando o reservatório auxiliar.

Chama bastante a atenção na linha 2015 o desenho bem mais atual da nova carroceria, a mesma de mercados europeus e asiáticos: “Estou certo de que o carro será líder novamente este ano”, afirma o vice-presidente executivo da montadora, Luiz Carlos Andrade Júnior. Em 2013, foi o Honda Civic o sedã médio mais vendido no Brasil. Essa liderança se manteve no primeiro bimestre de 2014, assim como o segundo lugar do Corolla.

Diante da possibilidade de sucesso do novo sedã fabricado em Indaiatuba (SP), o CEO da Toyota para a América Latina e Caribe, Steve St. Angelo, afirmou: “Com a adoção de algumas medidas na fábrica, poderemos chegar a 80 mil unidades por ano.” Atualmente, a unidade tem capacidade para 70 mil Corolla, feitos em dois turnos, que em tese seriam mantidos.

“Três turnos é algo pouco usual para a Toyota. As máquinas também precisam descansar”, afirma, recordando os ajustes e manutenção necessários às linhas de montagem. Os Corolla feitos no Brasil terão como destino o mercado interno e a Argentina. O CEO voltou a falar sobre seu desejo de exportar para mais países e da falta de competitividade dos carros brasileiros, mas evitou apontar culpados. “Todos sabemos quais são os problemas. O importante é solucioná-los. Precisamos nos juntar (com o governo) e encontrar formas de nos tornarmos competitivos e exportar para México, Estados Unidos...”

O assunto já havia sido abordado por St. Angelo durante o assentamento da pedra fundamental da fábrica de motores que será erguida pela Toyota em Porto Feliz (veja aqui).

O novo presidente da Toyota do Brasil, Koji Kondo, diz ter o mesmo sonho de St. Angelo, o de ampliar os embarques. “Quando vim para a região, implantamos mudanças para reduzir custos e nos tornarmos base de exportação para toda a América do Sul.” Kondo comemora a produção de 116.140 unidades em 2013, somados Corolla (fabricado em Indaiatuba) e Etios (Sorocaba).

Mais que isso, as boas vendas internas (176 mil veículos, somados os modelos locais aos vindos da Argentina e Japão) elevaram o Brasil de 13º para 9º maior mercado global para a Toyota. Kondo quer mais. “Este ano certamente será ainda melhor”, diz, confiante no sucesso do Corolla, que deve passar das 60 mil unidades até o fim do ano.

MUDANÇAS IMPORTANTES
Corolla
Acabamento bem cuidado e conforto são ponto forte do sedã, que tem sistema de navegação e TV digital de série para as versões XEi e Altis; espaço continua bom à frente e está melhor para as pernas de quem viaja atrás porque a distância entre eixos do Corolla aumentou dez centímetros.

Além do novo desenho, outro destaque do Corolla é a transmissão automática Multi-Drive (do tipo CVT) fornecida pela Aisin. Ela simula sete marchas. Nas versões XEi e Altis, permite trocas sequenciais por aletas atrás do volante e traz modo Sport. A versão GLi traz de série câmbio manual de seis marchas e tem como opção a nova caixa automática de sete marchas, mas sem moto esportivo nem aletas no volante.

Segundo a Toyota, a nova versão 2.0 está mais eficiente que a anterior na aceleração de 0 a 100 km/h (cujo tempo caiu de 11,6 para 9,7 segundos), nas retomadas de velocidade de 80 a 120 km/h (que baixaram de 4,67 para 3,39 segundos) e na frenagem a 100 km/h (cuja distância diminuiu de 60,5 para 51,6 metros).

Ainda de acordo com a montadora, o modelo obteve letra A no selo de eficiência energética. Com etanol, a versão GLi 1.8 automática fez 7,8 km/l na cidade e 9,2 km/l na estrada. Esses números sobem para 11,4 e 13,2 km/l com gasolina. Os carros com motor 2.0 (sempre automáticos) fizeram com etanol 7,2 km/l na cidade e 8,8 km/l em rodovia. Com gasolina, esses números passam para 10,6 e 12,6 km/l.

DIRIGIR É A MELHOR PARTE

Ficou muito bem acertado esse Corolla 2015. A nova carroceria tornou melhor a posição de dirigir como mudanças no ângulo do volante e na postura do motorista. Os comandos são fáceis e ficam todos à mão. O pacote de materiais fonoabsorventes também foi reforçado e o resultado disso é um grande sossego para quem dirige em estrada.

Automotive Business dirigiu a versão XEi 2.0 por mais de 50 quilômetros alternando rodovias com tráfego livre e pesado. A 120 km/h e com a sétima marcha em uso mal se ouve o motor ali na frente, girando a cerca de 2,7 mil rpm. As retomadas às vezes pedem a redução de duas marchas em vez de uma se o motorista quiser dar uma estilingada mais rápida ou ultrapassar com segurança. Para o motor 1.8, a potência máxima se manteve em 144 cv. O 2.0 produz agora 154 cv com etanol, um cavalinho a mais.

Corolla
Motor 1.8 produz até 144 cv e o 2.0, 154 cv. Ambos adotam sistema de injeção Delphi que pré-aquece o combustível e dispensa o tanquinho de gasolina para partidas a frio. Nova transmissão Multi-Drive CVT simula sete marchas. É de série na XEi e Altis e opcional da GLi. Sistema de iluminação tem desenho bem moderno. Faróis do Altis vêm com LEDs.

A vida é tranquila dentro do novo sedã. Não há o que falar contra a posição dos comandos, os materiais de acabamento. Tudo é bem cuidado. Quem vai no banco traseiro tem agora mais espaço para as pernas porque a distância entre eixos passou de 2,60 para 2,70 metros. O comprimento total subiu de 4,54 para 4,62 metros. O porta-malas manteve o volume de 470 litros.



Tags: Toyota, Corolla, GLi, XEi, Altis, Steve St. Angelo, Honda, Civic, Luiz Carlos Andrade Júnior, Koji Kondo.

Comentários

  • Reginaldo Valim

    Somente no Brasil que um carro 2015 é lançado no mês de março de 2014 !!!!!!!! Será que no Japão também se vende veículo 2015 no 1°trimestre de 2014????

  • Humberto Leite

    Se for verdade a informação adiantada pelas agências de notícia de que o novo Corolla não dispõe de controle eletrônico de estabilidade, então isso iria chancelar o descaso que esta montadora tem pelo consumidor brasileiro. Eu já imaginava que a Toyota iria manter motor antigo, de modesta potência específica, enfim, que iria decepcionar também em termos de segurança. Aqui no Brasil, de estradas ruins, muito mais necessário seria o dispositivo de segurança.

  • Gian

    kkk ... outra piada !!! ... Carro 2015 ?!?! ... com os acabamentos iguais dos modelos anterior (existem mais fotos no site Icarros), ajuste manual de regulagem dos banco e um "tapa" no cambio automático que SIMULA (sim mula) 7 marchas ... "ah, mas esses pontos são bons !" Sim, são !!! Se o carro tivesse o preço entre R$50mil e R$60mil ... não até R$90mil !!!!! ACORDA MEU POVO, TOYTA QUER EMPURRAR UM FIASCO E VAI TER BOBO DE MONTE COMPRANDO A "NOVIDADE" ... kkkk ... piada !!!!

  • Rafael Picone Filho

    Parabéns para Toyota por revigorar um carro tão importante para o mercado brasileiro cujo o preço de manutenção e economia são muito importantes no nosso mercado, sou fã de Corolla já tive 3 atualmente tenho Jetta Tsi que ganha em desempenho porém perde em conforto e economia com certeza vou pensar com muito carinho a possibilidade de voltar a Toyota logo no lançamento, o carro é lindo ,e como falei perfeito para o mercado nacional (com relação ao preço sabemos, o problema não é da montadora e sim dos encargos brasileiros, sucesso a toda rede este é o meu desejo ,e obrigado por existir carros como os Toyota ,um carro de sucesso mundial.

  • Rodrigues

    É quase que impossível agradar a todos.

  • Elton Baggio

    Será que um dia a Toyota vai trazer de volta a versão Fielder. Está fazendo muita falta.

  • Gian

    Nossa, como existem pessoas que ainda acham que os preços altos são encargos brasileiros !?!?Claro, não são só os encargos, eles ajudam ... mas o lucro das montadoras é maior que qualquer outro mercado e as mesmas exportam seus lucros para fora ... se eles praticassem a mesma porcentagem de lucro de outros países o preço dos carros seriam menores , isso é FATO !!! Mas, como todos os negócios, a palavra chave é LUCRO ... pq irei lucrar 6% se posso lucra 10% que tem babaca de monte pagando ?!!?!?

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência