Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Renault avança em utilitários no Brasil

Comerciais | 19/02/2014 | 19h26

Renault avança em utilitários no Brasil

Volumes no mercado brasileiro cresceram 210% em cinco anos

PEDRO KUTNEY, AB

As vendas de comerciais leves da Renault no Brasil cresceram impressionantes 210,6% nos últimos cinco anos – considerando só os emplacamentos de dois modelos, a multivan Kangoo e a Master, que pode ser configurada em van, furgão ou receber diversos implementos quando vendida como chassi-cabine. Também avançou substancialmente a participação do mercado brasileiro nos negócios globais de utilitários do grupo, de apenas 1,6% em 2008, com 6,8 mil unidades, para 5,6%, com 21,2 mil veículos do segmento comercializados pela marca no País em 2013. “Vemos que há potencial e as perspectivas são de crescimento contínuo nos próximos anos”, atesta Juan-Jose Palomo, vice-presidente mundial da divisão de comerciais leves da Renault, que esta semana visitou a subsidiária brasileira para, segundo ele próprio, “aprender mais sobre os clientes locais”.

Na Europa, onde lidera o segmento de comerciais leves há 14 anos e em 2013 vendeu 224,8 mil unidades, a Renault tem bem mais do que apenas dois produtos para competir. E por que não ampliar a gama de utilitários no Brasil? “Não vou revelar nossa estratégia de lançamentos, mas claro que vemos aqui diversas oportunidades para outros produtos. A intenção e ter veículos globais com adaptações locais, com lançamentos de modelos atualizados e que cada mercado demanda”, afirma Palomo.

Nesse sentido, o executivo descarta a hipótese de lançar produtos de baixo custo para competir com marcas chinesas, que há tempos tentam explorar o mercado brasileiro com modelos pequenos e baratos. “Não queremos competir com produtos claramente inferiores em qualidade. Se um dia introduzirmos um modelo low cost, será um projeto europeu”, diz.

Palomo praticamente confirmou que a Renault deverá lançar uma picape pequena. “Teremos uma picape, mas ainda não sei dizer exatamente quando”, esquivou-se. No ano passado, circularam informações na imprensa que a Renault estaria preparando para o início de 2015 o lançamento de uma picape derivada do Duster, fabricado em São José dos Pinhais (PR).

RECEITA DO SUCESSO

Em 2013, enquanto o mercado brasileiro de automóveis caiu 2,4%, o de comerciais leves cresceu 2,8%, para 533 mil unidades. Nesse cenário, a Renault aproveitou melhor a expansão, com avanço de quase 10% nas vendas de Kangoo e Master em comparação com 2012. A participação da marca no segmento, que era de 11,7% em 2008, vem evoluindo constantemente há cinco anos e subiu de 19% em 2012 para 22% no ano passado.

Para Gustavo Schmidt, vice-presidente comercial da Renault do Brasil, a receita desse sucesso é baseada em um tripé de fatores: “Temos capacidade produtiva (de 60 mil unidades/ano na fábrica de comerciais de São José dos Pinhais), renovamos a linha de produtos e ampliamos muito a rede”, elenca. De fato, o número de concessionárias da marca no País saltou de 175 em 2010 para 275 em 2013, com meta de chegar a 294 pontos este ano e assim atingir 90% de cobertura nacional. Além disso, no ano passado a empresa lançou as lojas Renault Pro+, especializadas nas vendas de comerciais leves e manutenção dirigida a esses veículos.

“Já estão em operação 53 concessionárias Pro+ e deveremos chegar a 63 este ano”, conta Schmidt. Segundo ele, existem mais concessionários na fila do que licenciamentos disponíveis para a operação exclusiva de comerciais leves da Renault. Todas as lojas no País podem vender esse tipo de veículos, mas as credenciadas como Pro+ ganham mais por unidade vendida, pois também são obrigadas a fazer investimentos para criar espaços exclusivos para a atividade, tanto no showroom como na oficina.

No mundo todo, a Renault tem 520 concessionárias Pro+ e deve acrescentar mais 60 pontos a este número até o fim de 2014. Para Palomo, são boas as perspectivas para este ano: “Esperamos crescimento de faturamento, volumes e market share”, diz. A divisão de veículos utilitários da Renault produz veículos atualmente em sete fábricas no mundo todo (incluindo duas na América do Sul, uma no Brasil e outra na Argentina). Em 2013 as vendas globais de comerciais leves da marca somaram 400,5 mil unidades, em expansão de 7,8% sobre 2012. A participação de mercado caiu um pouco, para 14,5%, mas foi suficiente para manter a Renault como líder global no segmento.

Assista abaixo à entrevista exclusiva de Juan-Jose Palomo a ABTV:



Tags: Renault, comerciais leves, utilitários, mercado, Palomo, Master, Kangoo.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência