Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 19/02/2014 | 18h25

PSA Peugeot Citroën amarga queda de 2,4% na receita de 2013

Faturamento da divisão automotiva cai 4,8% no comparativo contra 2012

REDAÇÃO AB

Mais um ano difícil na Europa afeta bruscamente os resultados da PSA Peugeot Citroën que acusou queda de 2,4% no seu faturamento global de 2013 na comparação com o exercício anterior, para € 54,1 bilhões, dos quais € 35,5 bilhões foram provenientes da divisão automotiva, resultado 4,8% abaixo do apurado em 2012, refletindo principalmente a queda dos volumes de vendas e um impacto cambial negativo, informa a companhia em comunicado divulgado na terça-feira, 19.

O relatório financeiro aponta que o prejuízo do grupo foi menor no ano passado, de € 2,3 bilhões contra as perdas de € 5 bilhões em 2012. O resultado operacional também foi negativo, fechando 2013 com perdas de € 177 milhões, enquanto há um ano o prejuízo operacional foi de € 560 milhões.

Em 2013, a despesas de reestruturação somaram € 460 milhões contra € 528 milhões em 2012, e estão relacionadas com as medidas e planos executados no ano passado, como as das atividades industriais e comerciais, que levou ao desligamento 2.250 funcionários, além do novo contrato social, incluindo os € 91 milhões de despesas de reestruturação da Faurecia, divisão de autopeças do grupo.

As vendas da companhia recuaram 4,9% em 2013, para 2,81 milhões de veículos entregues em todo o mundo. A desaceleração só não foi maior por causa de avanços na China e na América Latina (leia aqui). Fora da Europa, as vendas representaram 42% dos negócios totais do grupo no ano passado, contra 38% de 2012. O faturamento gerado pelas vendas de veículos caiu 8%, para € 25,5 bilhões ante os € 27,7 bilhões do ano anterior.

“Atravessamos anos muito difíceis para a indústria automobilística na Europa, que aumentaram as dificuldades estruturais do nosso grupo, excessivamente focado no Continente Europeu. Reagimos vigorosamente, adotando medidas de reestruturação difíceis, cujos frutos começamos a colher hoje com o lançamento de veículos de gama intermediária em 2013 que superaram seus objetivos. A internacionalização seguiu seu curso, com destaque para um excelente desempenho na China. Graças à mobilização excepcional de todos, conseguimos lançar as bases para a recuperação na Europa e reatar com um crescimento rentável. Com os anúncios feitos hoje, damos uma nova impulsão ao nosso grupo, amparados por um ambicioso projeto industrial e comercial e por meios financeiros consolidados”, comentou Philippe Varin, presidente do conselho de administração da PSA Peugeot Citroën.

Para 2014, a companhia prevê um crescimento do mercado automobilístico de 2% sobre o ano passado, de 10% na China, retração de 2% na América Latina e estabilidade das vendas na Rússia. O grupo informa estar alinhado com seu objetivo de realizar 50% de suas vendas fora de Europa a partir de 2015.

“Na continuidade da tendência de 2013, vamos prosseguir nossa gestão ativa do caixa, tendo por meta um fluxo de caixa livre operacional positivo até 2016. Passando esse prazo, a geração de fluxo de caixa livre operacional deve acelerar graças ao benefício estrutural dos projetos de operações.”



Tags: PSA, Peugeot, Citroën, faturamento, receita, prejuízo, Philippe Varin.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência