Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Entidades | 15/01/2014 | 18h20

Chery confirma apoio à Abeifa

Montadora já se filiou à Abeiva e espera mudança de estatuto para abrigar montadoras

PEDRO KUTNEY, AB

A Chery confirmou seu apoio à modificação do estatuto da associação dos importadores de veículos, a Abeiva, para a criação de uma nova entidade de montadoras no País, provavelmente chamada de Abeifa, que reuniria importadores e fabricantes (leia aqui). Segundo Luis Curi, CEO e vice-presidente comercial da Chery Brasil, a empresa se filiou em novembro passado à Abeiva e pretende ficar onde está, não está nos planos pedir a associação à Anfavea, por considerar muito cara o pagamento inicial para se filiar, que o mercado diz ser de US$ 1 milhão.

“Nem chegamos a negociar nossa entrada na Anfavea, porque quando soube desse valor com outro fabricante achei inviável, por isso estávamos postergando ao máximo nossa filiação. Mas quando surgiu a ideia de transformar a Abeiva também em uma associação de fabricantes resolvemos apoiar a ideia”, explicou Curi em entrevista a Automotive Business. “Imagine o que seria explicar para os chineses (donos da Chery) que para entrar no clube (dos fabricantes) nós teríamos de pagar US$ 1 milhão. Eu teria de providenciar um desfibrilador”, brinca o executivo.

Luiz Moan, presidente da Anfavea, negou que o valor cobrado para entrar na entidade seja o divulgado, o que foi confirmado por fontes de mercado, mas ninguém divulga de quanto seria esse pedágio exatamente. Contudo, por maior que seja qualquer desconto, a quantia ainda seria muito elevada em comparação ao que se paga na Abeiva. Curi informa que a joia da entidade é de R$ 75 mil e as mensalidades são calculadas na forma de rateio das despesas, como em um condomínio.

Além da economia com joia e mensalidades, Curi também admite que a Chery teria representatividade muito maior na futura Abeifa. “Na Anfavea pagaríamos todo esse valor e provavelmente não teríamos voz”, avalia. “Aí surgiu a alternativa de mudar o estatuto da Abeiva, o que pareceu uma alternativa melhor do ponto de vista econômico e representativo”, diz.

Curi admite que o peso da Anfavea é grande nas negociações setoriais com o governo e que a nova associação concorrente terá menos força. “Não teremos a mesma atenção do governo, mas ao menos vamos poder encaminhar nossos pleitos e colocar lá nossas opiniões, o que seria difícil na Anfavea”, destaca. Com as outras duas sócias da Abeiva, JAC Motors e Jaguar Land Rover, que defendem a mesma tese, o CEO da Chery Brasil avalia que em breve o novo estatuto da associação será aprovado, caso não exista nenhum impedimento legal. “Acho que sai”, resume.

O executivo explica também que a Chery Brasil nunca foi filiada à Abeiva até novembro passado. “A sócia era a Venko, a antiga representante e importadora. Quando a Chery assumiu as operações no Brasil, em 2012, a marca não se associou a nenhuma entidade. Só agora, com a possibilidade de estarmos em uma associação de importadores e fabricantes é que decidimos nos filiar à Abeiva.”



Tags: Abeiva, Abeifa, Anfavea, montadoras, entidades, associação, indústria, importadores.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência