Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 14/11/2013 | 15h09

Máquinas de construção fecham o ano com crescimento de 5%

Compras do governo influenciam no resultado anual, aponta Sobratema

REDAÇÃO AB

O mercado de máquinas de construção deve fechar o ano com crescimento de 5% sobre 2012, passando de 70,3 mil unidades para mais de 74,1 mil máquinas, aponta o estudo da Sobratema, Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração, divulgado durante a sétima edição do evento Tendências no Mercado da Construção, realizado na quinta-feira, 13, em São Paulo. O setor inclui na pesquisa equipamentos de diversos segmentos, como os da linha amarela (terraplanagem e compactação), guindastes, compressores portáteis, plataformas aéreas, manipuladores telescópicos e tratores de roda.

Segundo o estudo, o resultado global do setor será impulsionado pelo crescimento estimado em 13% das vendas das máquinas da linha amarela, que deve atingir as 33,3 mil unidades este ano contra as 29,4 mil comercializadas em 2012, o que marcará um novo recorde para o setor, superando o recorde anterior, de 2011, quando 30,5 mil máquinas foram vendidas no mercado interno. Outros equipamentos devem consolidar alta de 19% em 2013.

Para o vice-presidente da Sobratema, Eurimilson Daniel, um dos fatores que influencia esse resultado é o número de máquinas encomendadas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) para repasse a municípios pré-designados com até 50 mil habitantes, fora das principais regiões metropolitanas. Até a primeira quinzena de outubro, foram entregues 6.090 máquinas, entre retroescavadeiras e motoniveladoras, no valor de R$ 1,47 bilhão.

“Essas duas categorias de equipamentos devem ter um expressivo resultado em termos de vendas em 2013, com altas de 16% e 177%, respectivamente, em comparação a 2012”, detalha.

Com relação aos setores que utilizam máquinas para a construção, a área de infraestrutura responde pela maior parte dos equipamentos adquiridos em 2013, com 35 mil unidades, crescimento de 9,9% sobre 2012. A construção civil é o segundo segmento em termos de vendas, com 28 mil unidades, alta de 1,4% na mesma base de comparação.

CAMINHO SÓLIDO

A importação não é área de preocupação para o setor, estima o executivo, que estima crescimento baixo este ano, de 2,2%: “Essa pequena alta deve-se, principalmente, às taxas de câmbio mais desvalorizadas, que afetaram a competitividade das empresas importadoras de equipamentos”.

Para o futuro, a Sobratema projeta uma elevação média anual de 5,49% das vendas do setor de máquinas de construção até 2018, ainda impulsionadas pelas obras de infraestrutura e do PAC2. “Dependerá da retomada de investimentos e da viabilização efetiva dos projetos elencados para reduzir os gargalos existentes na infraestrutura nacional”, conclui.



Tags: Máquinas, construção, linha amarela, Sobratema, Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência