Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 04/11/2013 | 19h08

Marcopolo fez 15,8 mil carrocerias até setembro

Comparação com igual período de 2012 mostra alta de 10,4%; receita líquida soma R$ 2,74 bi

REDAÇÃO AB

A fabricante de carrocerias Marcopolo registrou crescimento de 10,4% em sua produção mundial. A empresa alcançou 15.858 unidades de janeiro a setembro, ante 14.367 fabricadas no mesmo período de 2012, e atingiu receita líquida consolidada de R$ 2,737 bilhões.

De acordo com o diretor-geral da Marcopolo, José Rubens de la Rosa, o desempenho da Marcopolo no ano foi puxado pelo volume de produção alcançado no período de julho a setembro, melhor trimestre do ano para o setor de ônibus no Brasil.

“A produção brasileira destinada ao mercado interno cresceu 22,6% em relação ao terceiro trimestre de 2012. Os segmentos de fretamento e turismo permanecem aquecidos, bem como a demanda por micro-ônibus, fomentada pelo programa ‘Caminho da Escola’, do Governo Federal, e pelo fluxo de turistas esperado no período da Copa do Mundo de futebol de 2014”, salienta o executivo.

Em contrapartida, a demanda por ônibus rodoviários de média e larga distâncias e ônibus urbanos apresentou retração desde o início de outubro. “A queda pontual na procura por ônibus rodoviários deve-se basicamente às licitações das linhas interestaduais, programadas para o final de maio de 2014. As atuais concessões expiraram ainda em 2008 e vinham sendo prorrogadas desde então. Ainda que o edital já tenha sido divulgado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), os operadores estão, neste primeiro momento, represando a renovação de suas frotas em razão das incertezas em relação à continuidade de suas operações”, explica De la Rosa.

Em relação aos ônibus urbanos, a retração na demanda resulta do congelamento e cortes nas tarifas municipais de algumas das principais cidades brasileiras. Para a Marcopolo, o momento é de incerteza para o segmento urbano, que enfrenta ritmo menor do que o normal.

No mercado externo, o volume físico de unidades exportadas pela Marcopolo a partir do Brasil no terceiro trimestre cresceu 11,5% sobre o segundo trimestre de 2013. Além de receitas maiores, também as margens foram beneficiadas pela desvalorização do real ante o dólar.

Em relação às empresas controladas e coligadas no exterior, a produção caiu 6,9% nos nove primeiros meses do ano, totalizando 1.437 unidades, ante 1.543 registradas no mesmo período de 2012. O destaque foi a Volgren, na Austrália, cuja produção aumentou 9,4% em comparação com os nove primeiros meses de 2012 e 43,8% em comparação com o terceiro trimestre do ano passado.

Em relação ao investimento estratégico na New Flyer, no Canadá, destaca-se maior volume de entregas nos nove meses deste ano, totalizando 1.556 unidades, 22,6% superior ao número do mesmo período do ano anterior. Houve também uma evolução nos pedidos em carteiras (firmes e opções) ao longo dos nove primeiros meses de 2013, passando de 6.325 ordens em 31 de dezembro de 2012 para 9.890 em 30 de setembro deste ano.



Tags: Marcopolo, receita líquida, José Rubens de la Rosa, fretamento, Caminho da Escola, Volgren, New Flyer.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência