Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Tecnologia | 28/10/2013 | 18h50

Wabco eleva nacionalização de ABS para veículos pesados e custo cai

Aposta é que sistema obrigatório facilite introdução de novas tecnologias para caminhões e reboques

PEDRO KUTNEY, AB

Com a obrigatoriedade de adoção do ABS para 100% dos veículos vendidos no País a partir de 2014, a Wabco, que já fornece o sistema de antitravamento de rodas para comerciais pesados (incluindo implementos) desde o início dos anos 1990, pretende aumentar a nacionalização do dispositivo produzido em Sumaré, no interior paulista. “Hoje de 30% a 40% dos componentes usados na produção já são comprados aqui, mas deveremos chegar de 60% a 70% até o fim do próximo ano”, revela Reynaldo Contreiras, presidente da empresa para a América do Sul. Com o aumento de escala, o custo do equipamento também está caindo rapidamente: “Podia chegar a 10% do preço do veículo e agora está em torno de 1%. O sistema completo de ABS custa em torno de R$ 500 para o fabricante”, revela Contreiras.

Além disso, a avaliação é que a introdução obrigatória do ABS dê impulso para a adoção de outras tecnologias de segurança veicular que contribuem para a redução de acidentes e mortes, como o controle de estabilidade. Na Fenatran 2013 (feira de transportes que acontece no Anhembi de 28 de outubro a 1º de novembro), a Wabco destacou seu programa Semirreboque Inteligente, que agrega ao veículo rebocado 40 funções para elevar a segurança e reduzir consumo de combustível. “O ABS e outros sistemas eletrônicos abrem a porta para outras inovações”, explica Contreiras.

Entre as diversas funções o Semirreboque Inteligente desenvolvido pela Wabco, estão controle de estabilidade, indicador de sobrecarga no eixo, alerta de inclinação, detector de ponto cego, frenagem de emergência e levantamento automático de eixo. “Vemos no Brasil muita tecnologia nos cavalos mecânicos e nem tanto nos semirreboques. Queremos mostrar com o programa que é possível evoluir bastante nisso”, observa Germano Collobialli, gerente de treinamento e assistência técnica. Segundo ele, todos os rebocados podem ser equipados com esses sistemas – inclusive alguns usados que passam por retrofit, embora nem sempre o custo para isso seja compensador.

Desde a introdução do ABS obrigatório na Europa, em 1991, e das demais tecnologias de segurança veicular ativa, houve redução de 60% nas mortes em acidentes envolvendo veículos comerciais, segundo dados da União Europeia. No Brasil, um terço das fatalidades no trânsito tem o envolvimento de um veículo comercial. “Estamos defasados 20 anos, mas podemos melhorar esse cenário. O ABS é o primeiro passo para evoluir nesse sentido”, avalia Leonardo Garcia, gerente de engenharia de produto e gerenciamento de projetos da Wabco.

Uma dessas evoluções é o sistema eletrônico de frenagem, o EBS, que custa cerca de três vezes mais do que o ABS comum, o que pode ser parcialmente compensado com a redução dos custos de instalação do sistema. Além disso, o EBS também permite a agregação de outras funções, como o controle eletrônico de estabilidade e antitombamento.

No momento, Garcia estima que cerca de mil veículos já utilizem o sistema conjugado no Brasil, principalmente frotistas especializados no transporte de produtos químicos e combustíveis, para os quais um acidente pode incorrer em elevados custos ambientais. “É o caso típico em que o frotista percebe que a tecnologia se paga rapidamente ao evitar custos”, diz.

Para os próximos anos, o engenheiro projeta que outros 5 mil unidades possam adotar o EBS com antitombamento nos próximos anos. “É uma evolução lenta. Sabemos que essas tecnologias demoram cerca de 10 anos para se consolidar e evoluir, como aconteceu na Europa, primeiro com a adoção obrigatório do ABS nos anos 1990 e agora com a obrigatoriedade de sistemas complementares”, estima Garcia.



Tags: Wabco, veículos comerciais, ABS, tecnologia, segurança.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência