Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Crédito | 22/10/2013 | 20h16

GM relança financeira no Brasil

Chevrolet Serviços Financeiros cria planos especiais para apoiar vendas da marca

PEDRO KUTNEY, AB

A General Motors aposta no maior apoio de suas operações próprias de financiamento para aumentar as vendas no Brasil com a criação, este mês, da Chevrolet Serviços Financeiros, subsidiária integral do Banco GMAC que vai oferecer planos competitivos e exclusivos aos clientes da marca. A estratégia segue na esteira da recompra de sua divisão financeira em todo o mundo, em operação que começou em 2010 com a criação da GM Financial e está sendo concluída este ano com a aquisição da Ally Financial Services, para a qual a GM havia vendido, em 2006, o controle acionário.

“Um dos elementos de mercado mais importantes para atrair novos clientes é o braço financeiro com a oferta de financiamentos, levando em conta que as vendas de carros à vista representam só 37% dos negócios”, explicou Santiago Chamorro, presidente da GM Brasil. Segundo ele, os serviços financeiros são uma alternativa importante para enfrentar a competição e o cenário atual de desaceleração do mercado (leia aqui). “Nosso objetivo é fidelizar o cliente e dos elementos da estratégia de varejo é a oferta de financiamentos.”

O Banco GMAC também foi recomprado da Ally no Brasil. A operação dependia de aprovação do Banco Central, o que aconteceu recentemente. Agora, com o controle do braço financeiro, a ideia criar opções de financiamento atraentes para os clientes. “As condições de financiamento são críticas para o nosso negócio. Com a Chevrolet Serviços Financeiros temos a ferramenta ideal para apoiar as vendas”, disse Jaime Ardila, presidente da General Motors South America (GMSA).

PLANOS ESPECIAIS

O primeiro passo dessa estratégia após a criação da Chevrolet Serviços Financeiros foi o lançamento da promoção de financiamento com taxa zero, que terminou na terça-feira, 22, e após 10 dias ajudou a reduzir os estoques na fábrica e concessionárias de 45 para 40 dias de vendas.

No começo de novembro a financeira lança o Plano Tranquilidade, que junta o custo das quatro revisões iniciais do veículo até os 40 mil km (e as quatro primeiras trocas de óleo até 35 mil km) em um mesmo financiamento. A entrada mínima é de 30% do valor do veículo e uma parcela maior, de 20% ou 30% do total financiado, é paga ao fim do prazo de 24 ou 36 meses. A taxa de juros do plano é de 0,79% ao mês, mas o custo efetivo total, que inclui IOF e outras tarifas, deve ficar em torno de 1% ao mês, nível parecido com o dos planos mais baratos do mercado.

No término do plano, o cliente tem a opção de refinanciar a parcela final, quitar o carro ou usar o valor de mercado do veículo para pagar a última prestação e dar entrada em um novo na concessionária.

Na prática, a GM apresentou o exemplo de financiamento de um Onix 1.4, seu modelo mais vendido atualmente, em sua versão mais cara e completa, a LTZ, com ar-condicionado, airbags, freios com ABS e sistema de conectividade MyLink. Hoje o preço sugerido do modelo é de R$ 43.990. Supondo que o cliente tivesse um Corsa 2009, avaliado pela tabela Fipe em R$ 22 mil, poderia dar entrada em torno de 50%. O restante seria pago em 36 parcelas de R$ 499 e a prestação final chegaria a cerca de R$ 14 mil. Ou seja, o total pago pelo carro neste caso é de R$ 53.964, ou quase R$ 10 mil além do valor original.

O marketing da GM avalia que o plano pode fidelizar o consumidor à marca e faz uma outra conta com o mesmo exemplo do Onis 1.4 LTZ. “Ao fim dos três anos, em 2016, o cliente terá um carro de aproximadamente R$ 35 mil (incluindo a parcela final), que poderá servir de entrada para uma nova compra”, aposta Hermann Mahnke, diretor de marketing da GM Brasil. Não será vantagem, tendo em vista que o cliente, descontada a parcela final de R$ 14 mil, teria R$ 21 mil para a entrada em outro Chevrolet zero-quilômetro, ou quase o mesmo que tinha 36 meses antes, mas corroído pela inflação de três anos. Portanto, não poderia comprar coisa melhor usando só seu usado como entrada.

“A vantagem é que o plano oferece parcelas mensais fixas e baixas, com previsibilidade de despesas controladas no horizonte de três anos adiante em um cenário de alta de juros”, avalia Chamorro.

CARTEIRA DE R$ 10,5 BILHÕES

A GM pagou cerca de US$ 4,2 bilhões para adquirir de volta da Ally o controle de seu braço financeiro em todo o mundo – só falta fechar o negócio na China. A GM Financial tem atuação em 16 mil concessionárias instaladas em 19 países. Os ativos da divisão somam US$ 30 bilhões.

No Brasil, a subsidiária da GM Financial é o Banco GMAC, que tem ativos totais de R$ 10,5 bilhões, patrimônio líquido de R$ 1,4 bilhão e carteira de crédito de R$ 8,5 bilhões em contratos ativos de financiamentos. São 426 mil clientes com planos de CDC e leasing e 95 mil consórcios. O banco é listado pelo BC como a 34ª maior instituição financeira do País.



Tags: General Motors, GM, Chevrolet Serviços Financeiros, Banco GMAC, Ally, financiamentos, crédito.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência