Automotive Business
  
Siga-nos em:

Notícias

Ver todas as notícias
Novo plano de investimento deve esperar mais, diz Ardila
Ardila: falta definir produtos para fazer no Brasil

Indústria | 22/10/2013 | 18h24

Novo plano de investimento deve esperar mais, diz Ardila

GM ainda vai definir veículos para o Brasil, mas valor pode superar R$ 2,5 bilhões

PEDRO KUTNEY, AB

“Ainda não estamos prontos, temos de estudar mais.” Assim Jaime Ardila, presidente da General Motors South America (GMSA), explicou a demora em anunciar o novo plano de investimento da GM no Brasil – o programa anterior, de R$ 5 bilhões, foi aplicado no período 2009-2012. “Estamos trabalhando nisso, mas ainda não é possível dizer quando vamos anunciar. O mercado brasileiro mudou muito e temos de avaliar isso melhor antes de definir quais novos produtos vamos fazer aqui”, acrescentou.

Também ainda não pode ser confirmado o possível investimento de R$ 2,5 bilhões divulgado no início deste ano, que era disputado pelo Brasil para fazer um novo carro na fábrica de São José dos Campos (SP) e dependia de um acordo com os trabalhadores da região, o que foi obtido com êxito (leia aqui). “Isso não depende mais de acordo com o sindicato, mas do produto e sua viabilidade”, disse Ardila. Sobre o projeto Jade, como é conhecido pelos fornecedores o programa de um novo Chevrolet de entrada para substituir o Celta no mercado brasileiro (leia aqui), o executivo foi enigmático: “Neste momento não posso confirmar isso, nem negar. Mas não há nada certo ainda.”

Apesar de não adiantar valores ou datas do novo programa de investimento da GM no Brasil, Ardila revelou que o aporte poderá ser superior aos R$ 2,5 bilhões. “Deve ser mais que isso. Só para fazer um carro totalmente novo aqui não se gasta menos de R$ 1 bilhão”, destacou. Ele acrescentou que, no momento, não vê limitação de produção, e que por isso os novos aportes não seriam direcionados ao aumento de capacidade das fábricas, mas especialmente em modernização e produtos. Contudo, duas das três unidades de montagem final da GM no País, Gravataí (RS) e São Caetano do Sul (SP) já operam no limite e, portanto, só haveria espaço para crescer na planta de São José dos Campos.

Segundo Ardila, ainda não foi possível definir com clareza a linha de produtos devido à mudanças recentes no padrão de consumo de automóveis. “O consumidor está com expectativas cada vez maiores, em evolução, valoriza coisas como conectividade a bordo, que antes não entravam na conta. Por isso temos de analisar melhor para acertar”, disse.

O mix de vendas de versões dos produtos GM no Brasil nos últimos meses corrobora com a tendência destacada por Ardila. “Nos 11 lançamentos que fizemos nos últimos 20 meses, a procura por versões melhor equipadas foi maior do que por modelos básicos em todos os casos, sem nenhuma exceção”, confirmou Hermann Mahnke, diretor de marketing da GM Brasil. “Isso nunca aconteceu antes”, acrescentou Ardila.



Tags: General Motors, GM, investimento, fábrica, Jaime Ardila.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência