Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Entidades | 10/10/2013 | 17h46

Acav foca em expansão de treinamento da rede

Concessionários MAN reforçam equipes de vendas e atendimento para enfrentar mercado mais acirrado

SUELI REIS, AB

Treinamento e aperfeiçoamento são os principais ingredientes que a Acav – Associação Brasileira dos Concessionários MAN Latin America – coloca em sua receita para manter bom nível de atendimento e vendas nas 116 concessionárias que levam o nome da marca e de sua controlada, a Volkswagen Caminhões e Ônibus. Segundo o presidente da entidade, Diego Comolatti, com a chegada de novas tecnologias, forte crescimento da demanda e, principalmente, a introdução de novos produtos no mercado, os esforços têm sido concentrados em promover cada vez mais encontros para cada tipo de profissional que forma uma revenda.

“Hoje o cliente é muito bem informado. O vendedor e toda a equipe têm de estar muito bem preparados para recebê-lo”, comenta o executivo, que assumiu a presidência da Acav em janeiro deste ano. Ele continua: “A exemplo do que já acontece há anos nos Estados Unidos e Europa, o Brasil entrou numa nova era, a dos caminhões pesados e extrapesados, que vieram para ficar. É um segmento que têm impulsionado as vendas deste ano e vai impulsionar nos próximos, porque a demanda econômica, puxada por agronegócio, minério e infraestrutura vai perdurar. Por isso, o mercado caminha para o veículo mais pesado, que tem mais capacidade. O cliente vê nele aumento da produtividade: é um mercado que vai crescer e todo mundo quer uma fatia desse bolo: a Ford lançou um extrapesado, a DAF está chegando pelo extrapesado. Nesse contexto, o papel do concessionário é manter a excelência no atendimento, mostrar o nosso produto e fazer a ponte do cliente com a fábrica.”

Para alinhar a estratégia dos concessionários e de toda a rede, a Acav adotou encontros regionais focado em cada tipo de profissional essencial das revendas – vendedores, gerentes de serviços, mecânicos, gerentes de autopeças, gestores e até equipe administrativa, que, juntos por dois dias, avaliam suas operações locais, quais práticas podem servir de exemplo para toda a rede ou quais devem ser modificadas.

A prática nasceu de uma experiência local, um concessionário de Manaus (AM), que após verificar similaridades de problemas em outras revendas da região, sugeriu encontros para alinhar algumas práticas e agilizar os atendimentos, como as das regiões Norte e Nordeste, nas quais a distância entre uma loja e outra pode ser de alguns milhares de quilômetros. A Acav assumiu a organização dos encontros em parceria com a fábrica. Os eventos são separados por regiões, por apresentarem similaridades de operações: Norte, Nordeste, Centro (que compreende Sudeste e Centro-Oeste) e Sul.

O executivo revela que o calendário de eventos para 2014 já está montado e que incluirá, pela primeira vez, um encontro nacional dedicado aos monitores de pós-venda de ônibus – profissional técnico responsável pela orientação para chassis nas concessionárias. A associação estuda ainda se promoverá um evento para o consultor técnico, profissional que recebe o cliente no atendimento de pós-venda para reclamações, problemas com o veículo etc.

“Este era um encontro que acontecia em paralelo, por iniciativa das revendas do Norte; nós gostamos e passou a ser um programa da associação, com participação da fábrica. Dessas reuniões, nascem soluções para problemas que a própria fábrica desconhecia. Esta é uma forma de manter uma rede forte e brigar por um mercado cada vez mais acirrado”, conclui.



Tags: Acav, concessionárias, MAN Latin America, Volkswagen, caminhões, ônibus, Diego Comolatti.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência