Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Salão Duas Rodas espera 270 mil no Anhembi
Na sequência, Anhembi movimentado na terça-feira à tarde e scooters BMW C600 e Dafra Cityclass 200 (fotos: Mário Curcio)

Eventos | 08/10/2013 | 19h47

Salão Duas Rodas espera 270 mil no Anhembi

Principais fabricantes levam lançamentos para segurar parte da queda nas vendas do setor

MARIO CURCIO, AB

Começou na terça-feira, 8, o 12º Salão Duas Rodas. Este é o maior evento do setor de motos e bicicletas no País. Ele ocorre até o dia 13 no Anhembi e terá este ano a tarefa de dar um empurrãozinho nas fracas vendas do setor - que obrigaram os fabricantes a revisar para baixo suas previsões pela segunda vez este ano (veja aqui).

Com 450 marcas expositoras em 110 mil metros quadrados, o salão deste ano deve atrair entre 260 mil e 270 mil visitantes. Com mais de 80% do mercado, a Honda preparou uma série de lançamentos. O mais importante é a família 500, formada por três modelos de exatos 471 cc e 50 cv de potência cada.

Ainda este mês as concessionárias recebem a CB500F, motocicleta de estilo naked (do inglês nu, por não ter carenagem). Em dezembro vem a CBR500R, esta com apelo esportivo e carenada. Para o primeiro semestre do ano que vem chega a CB500X, com suspensões de curso mais longo que as outras para viagens com conforto, mesmo em piso irregular. A fabricante ainda não informa seus preços.

No salão, a Honda lança também série especiais, uma delas alusiva a 3 milhões de motocicletas bicombustíveis produzidas. Cinco modelos flex receberam pintura azul, vermelha e branca (representando as cores do sistema Honda Flex One).

Próxima a completar um ano no Brasil (em 23 de outubro), a Ducati comemora a abertura de seis revendas, quer ter nove até o fim do ano e aumentar o número de pontos em 2014. “Vamos ampliar também nossa estrutura logística com a ajuda com a Penske, aumentar a oferta de peças, acessórios e também os serviços financeiros, diz o diretor da fabricante no Brasil, Ricardo Susini.

Entre os lançamentos da feira estão a nova 1199 Panigale S Senna e a 1199 Panigale R. A fabricante anunciou também o início da montagem local da Monster 796. A Ducati utiliza a estrutura da Dafra para produzir em Manaus (AM).

Com 5,9 mil motos vendidas no Brasil de janeiro a setembro, a Harley-Davidson anunciou para a linha 2014 os freios com ABS como item de série em todos os modelos, que estarão à venda entre o fim deste ano e início de 2014. Entre os destaques da feira estão a CVO Breakout, a Forty Eight 1200 e a Fat Bob.

Da Suzuki, terceira colocada no ranking de vendas, surge a Inazuma 250, modelo de média cilindrada aguardado há algum tempo no Brasil. A fabricante não tinha uma moto dessa faixa de cilindrada desde o início da década anterior, quando montou as últimas Intruder 250. Segundo o diretor da J.Toledo Suzuki, João Toledo Filho, a nova moto chega no segundo trimestre de 2014. Custará cerca de R$ 15 mil.

Salão
Em sentido horário, a partir do alto, à esquerda: Honda CB500F, Suzuki Inazuma 250, Ducati Monster e Harley-Davidson CVO Breakout (fotos: Mário Curcio)

Com seus modelos a partir de 600 cc, a BMW comemora bons resultados no Brasil. “Em 2012 fomos o quinto maior mercado da BMW, com cerca de 7,4 mil unidades. Este ano devemos ir a 7,6 mil”, afirma o diretor da divisão de motocicletas da marca, Federico Alvarez. A rede atual da BMW tem 30 concessionárias e deve aumentar em 2014. A produção local também ocorre dentro da fábrica da Dafra. Alvarez também comemora vendas corporativas à Polícia Rodoviária e a órgãos de trânsito. A BMW fez dois lançamentos no Salão Duas Rodas, o scooter C 600 Sport e a F 800 GS Adventure.

A Yamaha do Brasil tem como meta lançar um produto a cada seis meses nos próximos anos, incluindo aí sua linha náutica e quadriciclos. Para o Salão Duas Rodas ela trouxe novamente a V-Max, desta vez com a real intenção de vender a moto. Ano que vem estará nas concessionárias por R$ 99 mil. “Queremos vender 50 unidades no ano.” Parece pouco... “É um começo. Somente durante a montagem do estande confirmamos cinco pedidos”, afirma o diretor comercial, Márcio Hegenberg.

O executivo também revelou o preço do novo scooter T-Max 530, apresentado no início do segundo semestre. O modelo estará à venda em dezembro por R$ 42,5 mil. A Yamaha usa a força do evento para divulgar sua primeira moto de 150 cc produzida no Brasil, a YS 150 Fazer, também mostrada no começo do semestre. Tem preços entre R$ 7.390 e R$ 7.850.

Em um estande de 1,5 mil metros quadrados, a Kawasaki expõe 40 produtos. O lançamento guardado para o salão foi a Ninja 1000 Tourer. Com fábrica em Manaus, a Kawasaki ocupa o sexto lugar entre as marcas mais vendidas no Brasil. Há dois meses ultrapassou a Kasinski, cujo forte são modelos de baixa cilindrada.

Com a expectativa de superar a meta inicial e vender cerca de 2,5 mil motos em 2013, a Triumph já tem sete revendas. A primeira delas, Triple Triumph, aproxima-se de mil unidades. Para o salão, a fabricante anunciou quatro novas motocicletas para os próximos três meses. A primeira, Street triple R, tem novos freios e suspensões e preço de R$ 34,9 mil. Já está à venda. Em novembro chega a Tiger 800, modelo mais adequado ao uso urbano que a 800XC. Para as próximas semanas chegam também a Trophy SE, uma touring de R$ 79,9 mil, e a Tiger Explorer XC, com produção em Manaus e preço sugerido de R$ 62,9 mil.

Salão
Em sentido horário, a partir da moto dourada: BMW F 800 GS Adventure, Kawasaki Ninja 1000 Tourer, Triumph Tiger e Yamaha V-Max (fotos: Mário Curcio)

Da Dafra chamam a atenção dois novos scooters, o Cityclass 200 e o Maxsym 400. O Cityclass traz freios combinados (diferentes das motos convencionais, em que os freios dianteiro e traseiro têm atuação separada). Já o Maxsym usa ABS. Com essas novas opções, subirão de dois para quatro os scooters vendidos pela Dafra.

A fabricante também mostra no evento a nova Super 50 e a E-Bike DBT, uma bicicleta elétrica com autonomia, segundo a Dafra, de 70 quilômetros. Diferentemente de outros modelos, em que o motor fica dentro da roda, na nova bicicleta ele é instalado nas pedivelas.

Em Manaus, a Bramont já monta motocicletas Benelli. “A produção começou neste mês. As vendas se iniciam em novembro”, afirma o diretor comercial e de marketing, Jean Anwandter. A Bramont também se prepara a fim de produzir motocicletas e scooters Keeway a partir de janeiro. As vendas terão início em março. “Construímos um segundo galpão (em Manaus) com 12 mil metros quadrados e haverá um terceiro com 14 mil m². Estamos investindo US$ 15 milhões”, diz Anwandter.

Com fábrica em Manaus desde 2007, a Traxx mostra no salão a urbana Vector e a nova versão da trail Fly, ambas com motor de 150 cc. O início das vendas deve ocorrer no primeiro semestre de 2014. No acumulado até setembro, a Traxx é a décima fabricante, com 5.174 unidades emplacadas, mas vale dizer que seu forte é são os modelos de 50 cc, que muitas vezes não são licenciados e por isso não constam nos registros do Renavam.

Salão
Em sentido horário, a partir do scooter branco e cinza: Dafra Cityclass 200, Traxx Vector 150, Benelli TRE K e Keeway 200 (fotos: Mário Curcio e divulgação)



Tags: Salão Duas Rodas, Márcio Hegenberg, Jean Anwandter, Honda, Suzuki, Harley-Davidson, Ducati, Inazuma, BMW, Kawasaki, Triumph, Dafra, Traxx, Keeway, Benelli.

Comentários

  • Raul

    Suzuki Inazuma por R$ 15.000,00 é cara, comparada as nossos 250,300 cc. inviavel, melhor optar por uma honda 500 por 22.500,00 ou uma usada suzuki Bandit 600, ou fazer 600. a J.Toleto tem que adequar este preco da Inazuma em torno de no maximo 12.000,00.

  • sandro

    Aqui onde moro a CB 500 tá de 26 mil...

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência