Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Elétricos | 30/09/2013 | 16h57

Daimler e mais cinco empresas investirão € 350 milhões em rede de abastecimento de hidrogênio

Grupo H2 Mobility planeja 400 postos para veículos elétricos até 2023 na Alemanha

REDAÇÃO AB

A Daimler e outras cinco empresas - OMV, Shell, Total (setor petroquímico) Air Liquide e Linde (produtores de gás industrial) - assinaram um acordo para investirem € 350 milhões ao longo de dez anos na Alemanha para a instalação de uma rede de estações de abastecimento para veículos elétricos movidos a célula de hidrogênio. De acordo com comunicado divulgado na segunda-feira, 30, o grupo batizado de H2 Mobility planeja ter 400 postos até 2023, sendo que os cem primeiros devem entrar em operação nos próximos quatro anos. Atualmente, o país conta com 15 postos deste tipo.

“O hidrogênio é o elemento mais comum no Universo, no entanto, estações de abastecimento para essa alternativa ecológica de combustível ainda são escassas. A iniciativa H2 Mobility quer mudar isso. Em 2023 deverá haver mais postos de abastecimento de hidrogênio na Alemanha do que há postos de gasolina convencionais ao longo das rodovias hoje. Com isso, podemos criar passo a passo uma infraestrutura completa para o uso diário da tecnologia de célula de combustível”, disse em nota o vice-presidente de Pesquisa e Desenvolvimento da Daimler, Thomas Weber.

Após a fundação de uma joint venture, que ainda está sujeita a aprovações regulamentares necessárias, a expansão gradual da rede terá início no próximo ano. Os planos incluem também a aquisição de hidrogênio necessário para a distribuição por meio de um pedido de apoio ao governo federal alemão.

Quando o sistema estiver completo, haverá um posto de hidrogênio a cada 90 quilômetros nas rodovias alemãs, informa o grupo. Isto significa que uma fonte de hidrogênio adequada para o uso diário deve ser criada não só para áreas densamente povoadas e nas principais artérias de tráfego, mas também para as áreas rurais.

No início deste mês, durante o Salão de Frankfurt, a Toyota foi a primeira montadora a anunciar o lançamento da produção de veículos movidos a célula de combustível no mercado alemão, a partir de 2015 (leia aqui). De acordo com o comunicado do H2 Mobility, carros com células de combustível são vistos na indústria como a melhor solução a longo prazo para reduzir as emissões de poluentes do transporte rodoviário, como o CO2, mas um grande problema – além do alto preço – é a falta de infraestrutura de abastecimento. A rede de estações prevista pelo grupo até 2023 é considerada pré-requisito para o desenvolvimento do mercado de veículos dotados dessa tecnologia.



Tags: Daimler, célula de hidrogênio, veículo elétrico, H2 Mobility.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência