Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Crédito | 05/07/2013 | 14h40

Saldo da carteira para financiamento de veículos segue em queda

Campanhas promocionais e aumento no valor de entrada influenciaram, aponta Anef

REDAÇÃO AB

Durante o primeiro semestre do ano, com quase 1,8 milhão de veículos emplacados, a liberação de recursos para financiamento se manteve elevada, embora o saldo total da carteira para financiamento de veículos não tenha atingido o patamar esperado. É o que aponta a Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef) em nota.

Até agora a associação consolidou os dados de financiamento até maio. Durante o mês foram concedidos R$ 9,3 bilhões, o que representa queda de 2,3% sobre abril e de 3,1% sobre maio do ano passado.

O saldo das carteiras de financiamento para a aquisição de veículos seguiu em queda. De abril, quando estava em R$ 235,8 bilhões, registrou baixa de 0,6%, atingindo R$ 234,3 bilhões em maio. Na comparação com o mesmo mês de 2012, a redução foi de 4,1%.

“Verificado que as modalidades de pagamento de veículos de passeio, comerciais leves e veículos comerciais não sofreram alterações significativas, os principais motivos para a não recuperação do saldo das carteiras de financiamentos são a utilização de maiores valores para a entrada na aquisição dos veículos, o encurtamento de prazos de financiamento e campanhas promocionais como as de taxa zero, o que acaba diminuindo o ticket médio das operações”, explica o presidente da Anef, Décio Carbonari. Os associados da Anef praticaram uma taxa média de juros de 1,24% ao mês, 0,1 ponto percentual abaixo da praticada em abril, de 1,25%. A taxa média anual foi de 15,94%, ao passo que em abril havia sido de 16,08%.

A ponderação média das taxas praticadas pelo mercado (bancos de varejo) no financiamento de veículos passou de 1,52% ao mês e 19,9% ao ano, para 1,51% ao mês e 19,7% ao ano, no CDC para pessoa física. No CDC para Pessoa Jurídica, a taxa manteve-se estável em 1,26% ao mês e 16,2% ao ano. Já a taxa Selic foi elevada no período, subindo para 0,64 % ao mês e 8% ao ano.

Os planos máximos disponibilizados pelos bancos aos consumidores seguiram em 60 meses. No entanto, o prazo médio em maio foi de 42 meses. No mesmo período de 2012, era de 43 meses.

INADIMPLÊNCIA

A Anef aponta que a inadimplência se manteve estável em 6,3% em maio para os contratos CDC (Crédito Direto ao Consumidor) acima de 90 dias. No mesmo mês de 2012, a inadimplência estava na casa dos 7,2%.

Os atrasos de pagamento, entre 15 e 90 dias, nos financiamentos para pessoa física com contratos em CDC, também ficaram estáveis no período, em 8,6%. Doze meses antes, o porcentual era de 9,8% e apresentou queda de 1,2%.



Tags: Anef, financiamento, veículos, vendas, Décio Carbonari.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência