Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Negócios | 23/05/2013 | 21h35

Fiat: investimento em Pernambuco soma R$ 7 bilhões

Aporte envolve parque de fornecedores. R$ 5,2 bilhões virão do BNDES, Sudene e Banco do Nordeste

REDAÇÃO AB

Somarão R$ 7 bilhões os investimentos da Fiat e alguns de seus fornecedores na nova unidade industrial que está em construção em Goiana, Pernambuco, segundo divulgou a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), que na terça-feira, 22, aprovou sua parte no financiamento do empreendimento. O Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE), gerido pela Sudene, irá emprestar à Fiat R$ 1,96 bilhão, e o Banco do Nordeste, por meio do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), colocará mais R$ 888,3 milhões na operação. O BNDES já havia aprovado, em janeiro passado, R$ 2,4 bilhões. Com isso, R$ 5,2 bilhões dos recursos a serem investidos em Goiana virão de fontes públicas.

De acordo com informações da Sudene, os recursos do FNDE vão financiar 72,66% das obras civis da fábrica de automóveis, 100% das obras civis do parque de fornecedores e 100% das máquinas compradas no País. O financiamento do FDNE corresponde a 27,77% do investimento total – é a segunda maior operação financiada pelo Fundo; a primeira é a Ferrovia Transnordestina. Somando também os aportes do FNE, os fundos regionais de financiamento do Nordeste representam 40,36% do total a ser investido. A superintendência informou ainda que a Fiat colocará R$ 1,4 bilhão em recursos próprios.

Além da linha de produção de automóveis com capacidade para 250 mil unidades/ano, a nova planta industrial da Fiat incluirá fábrica de motores, campos de provas, centros de desenvolvimento tecnológico e de capacitação profissional. Segundo a Sudene, durante a fase de construção do complexo, serão gerados cerca de 7 mil empregos. Quando entrar em operação, a partir de 2015, a Fiat deverá empregar 4,8 mil pessoas diretamente, e sua cadeia de suprimentos outras 12 mil. O empreendimento também pode atrair um polo siderúrgico para a região.

Até agora, a Fiat informou que a fábrica de automóveis consumirá R$ 4 bilhões, e a planta de motores mais R$ 500 milhões. Os R$ 2,5 bilhões restantes para completar os R$ 7 bilhões informados pelam Sudene, portanto, deverão ser direcionados às outras instalações do complexo industrial de Goiana, incluindo também empreendimentos de fornecedores como a Magneti Marelli, pertencente ao Grupo Fiat, que já confirmou a instalação de unidades de produção em Pernambuco, das divisões de componentes plásticos, conjuntos de suspensão e sistemas de exaustão de motores (escapamentos e seus agregados).

No início de maio, o Grupo Fiat aumentou o total e o prazo de seu programa de investimentos no Brasil, de R$ 10 bilhões de 2011 a 2014 para R$ 15 bilhões no período até 2016, incluindo as diversas empresas controladas pela companhia (leia aqui).



Tags: Fiat, Pernambuco, Goiana, investimento, fábrica, Sudene, Banco do Nordeste, BNDES.

Comentários

  • Lindolfo barreira Maia

    Fazem fabricas com o nosso dinheiro e ainda nos supefaturam os preços dizendo que e o custo BRASIL,mentira implantada ao longo dos anos para nos explorar como se fossemos burros de carga...ainda assim nos compramos estas carroças caras como se fossem de ouro .vamos nos unir como nação e parar de comprar estas carroças inseguras,esta e a forma que temos de protestar contra este cartel chamado de anfavea ,aguardem que a resposta chegara.accimp-BRASIL vem aí.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência