Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Importados | 21/05/2013 | 19h01

Kia mantém decisão de não se habilitar no Inovar-Auto

Para a empresa, cota de importação não compensa exigências do programa

REDAÇÃO AB

Depois de avaliar as regulamentações do Inovar-Auto divulgadas na segunda-feira, 20 (leia aqui), a Kia Motors confirmou que não pretende se habilitar no novo regime automotivo. A informação foi dada por José Luiz Gandini, presidente do Grupo Gandini, que representa a marca no Brasil, em entrevista à Agência Estado.

Para a empresa, a cota máxima de 4,8 mil veículos por ano que podem ser importados sem o adicional de 30 pontos no IPI não compensa a inscrição como importadora, já que o programa pede contrapartidas de eficiência energética, investimentos e pesquisa e desenvolvimento e adesão ao Programa de Etiquetagem Veicular do Inmetro.

A Kia é a maior importadora independente do País e foi uma das empresas que teve os negócios mais afetados pelo Inovar-Auto. A companhia via suas vendas acelerarem ao ritmo de dois dígitos antes do anúncio do aumento do IPI para carros importados de fora do Mercosul e do México. No primeiro quadrimestre de 2011 a empresa vendeu 25,2 mil carros no Brasil. Com o aumento do tributo, as vendas diminuíram para 13,9 mil unidades entre janeiro e abril do ano passado e ficaram em 9,9 mil veículos no mesmo período deste ano.

A empresa estuda a instalação de uma fábrica no Brasil. Ainda não foi definido se o projeto será conduzido apenas pela matriz coreana ou se terá parceria com o Grupo Gandini. O executivo aponta que, até que a decisão seja tomada, a importadora ficará fora do Inovar-Auto.



Tags: Kia, Gandini, Inovar-Auto, habilitação.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência