Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Duas Rodas | 09/04/2013 | 00h57

Triumph revê para cima expectativa de mercado

Empresa quer vender 2,5 mil motos no ano; Street Triple e Daytona 675 chegam em junho

MÁRIO CURCIO, AB

A fabricante de motocicletas Triumph reviu para cima alguns dos números apresentados em novembro de 2012, quando já produzia em Manaus (AM) e estava abrindo sua primeira concessionária. “Este ano venderemos certamente 2,5 mil motos”, afirma o gerente de marketing Fernando Filie. Em 2012 a empresa previa 2 mil motos. Das seis unidades por dia montadas em Manaus em dezembro, a empresa passará a até 16 motos diárias este mês.

A abertura de revendas, contudo, teve atraso. A segunda e terceira lojas, programadas para janeiro deste ano, serão abertas só neste mês, em Porto Alegre (RS, dia 10) e Ribeirão Preto (SP, dia 11). Sobre o atraso, o gerente-geral, Marcelo Silva, explicou: “A procura inicial pelas motos em foi alta em São Paulo. A fábrica repassou ao concessionário cerca de 200 unidades em 2012 e outras 350 neste primeiro trimestre”, afirma Silva.

Nos próximos meses, segundo os executivos, haverá outras cinco concessionárias. Para maio eles preveem uma em Brasília (DF) e outra em Belo Horizonte (MG). Em junho chega a vez do Rio de Janeiro (RJ) e de Curitiba (PR) terem suas revendas abertas. E uma grande loja será aberta em Campinas até julho. Até o fim do ano, outras praças dadas como certas por Marcelo Silva são Recife (PE), Salvador (BA) e Florianópolis (SC). A meta é de 12 concessionárias até o fim de 2013.

Em maio, a fábrica de Manaus começa a produção de duas outras motos, a Daytona 675 e a Street Triple. “Elas chegam às concessionárias em junho”, garante o gerente-geral. Um exemplar de cada uma está no centro técnico da Triumph na cidade de São Paulo, ao lado do escritório da companhia, que investiu R$ 19 milhões para instalar-se no Brasil, montar e vender aqui suas motocicletas. A Triumph produz no Brasil com componentes vindos de Hinckley, Inglaterra, e Chonburi, Tailândia (veja aqui).

ATÉ O FIM DO ANO, R$ 800 MIL EM ROUPAS

Todas as revendas terão butique para venda de acessórios para motocicletas, roupas e objetos com a marca do fabricante inglês. “Traremos até o fim deste ano R$ 800 mil em roupas”, afirma o gerente de pós-venda, Cláudio Peruche.

Mais que camisetas, jaquetas e bonés, a empresa tem grande interesse na venda de itens para as motos. Peruche ainda não sabe o tamanho da fatia que essas peças terão, mas já se prepara para entregar à rede itens como malas laterais, faróis auxiliares, para-brisas, suporte para navegador (GPS) e manoplas com aquecimento.



Tags: Triumph, Street Triple, Daytona 675, Fernando Filie, Marcelo Silva, Hinckley, Chonburi, Cláudio Peruche.

Comentários

  • Roberto Garcia

    Sou fan da marca há muitos anos e fico muito feliz em saber do sucesso de vendas da Triumph neste retorno de operações no Brasil e agora com fabricação local em Manaus. Isto apenas reforça nossa certeza de que havia uma grande demanda reprimida de um publico seleto que aguardava ansiosamente a oportunidade de adquirir e pilotar esta maquina dos sonhos.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência