Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 03/04/2013 | 16h10

JAC volta a abrir concessionária na Grande São Paulo

Grupo SHC inaugurou revenda com potencial de 100 carros zero ao mês e outros 50 usados

MÁRIO CURCIO, AB

Muita gente zanzando no showroom, xeretando nos carros por dentro e também sob o capô. Garçonetes levam canapés ou champanhe. De repente, buzinas começam a tocar, acompanhadas de gritos, palmas... “Carro a gente vende com alegria”, explica o empresário Sérgio Habib ao justificar a comemoração de seus funcionários pela abertura de uma concessionária JAC Motors.

Depois do fechamento de cinco revendas JAC na Grande São Paulo (consequência dos 30 pontos extras de IPI para parte dos importados), a marca voltou a abrir lojas. “Investimos R$ 2,5 milhões aqui.” Ao lado dos modelos já conhecidos havia também uma van de mais de cinco metros para sete ocupantes (veja aqui). Não por acaso, a nova concessionária fica na Avenida Ricardo Jafet, bem ao lado da Citroën Saint Etienne, também de Habib.

A JAC Motors tem hoje 11 concessionárias na Grande São Paulo. No Brasil são 70. A empresa constrói uma fábrica em Camaçari (BA), que deve começar a produzir no fim de 2014. Até lá, novas revendas serão abertas apenas em locais realmente estratégicos: “A expansão só ocorrerá em 2015”, afirma Habib.

Durante a inauguração da loja, Habib falou a respeito dos futuros JAC nacionais: “Os primeiros protótipos vêm sendo testados na China”, afirma, referindo-se ao modelo em desenvolvimento para nosso mercado, que usará a mesma plataforma dos modelos J2 e J3.

Automotive Business perguntou a Habib se a fábrica de Camaçari virá quase toda da China, a exemplo do que ocorre com a concorrente Chery em Jacareí (SP, veja aqui). “A gente ainda não sabe, mas o fato é que o Brasil está caro”, diz. Sobre o mercado de automóveis em 2013, Sérgio Habib acredita: “Em minha opinião, este ano não deve crescer. Será mais ou menos como 2012.”



Tags: JAC Motors, Sérgio Habib, Ricardo Jafet, Camaçari, fábrica.

Comentários

  • CIDO

    Estou mais tranquilo após ter tomado conhecimento, dos rumos, da construção da Fabrica da JAC em CAMAÇARI, estãode parabéns os executivos da JAC, por estarem empenhados em produzir veiculos de qualidade e confiança, e afastae de vez a tese que os carros chineses não são confiaveis, apenas uma ressalvaque deem mais um pouco de estruturas as css, para que o consuidor final seja mais esclarecidos principalmente no quesito peças de reposição....

  • Bene Edson

    Gostaria imensamente, que este E-mail chegasse até o Sr. Sergio Rabib, para resolver nosso problema.Adquiri um JC.5 em uma concessionaria em Jundiaí-SP. Mas a mesma encerrou suas atividades. Procurei na internet um que ficasse mais próxima de jundiai,localizei uma em Campinas a SPN distribuidora de veículos Ltda. em contato com a mesma, pediram para que leva-se o veiculo logo cedo 8:00hs.e entregaria o veiculo no máximo as 12:00hs. Levei conforme o combinado, mas ai começou o meu pesadelo. Aguardei até as 16:58hs.conforme meu comprovante de pagamento. Entregaram meu carro, sem revisarem sem lavar, e fui cobrado pelos serviços não executados. Chamei o diretor, um sujeito sem preparo algum, em termos de profissionalismo arrogante, concordou comigo,mas não solucionou o problema. Isto ocorreu em 06/01/2015. Até 15/04/2015,Até hoje não foi emitida a minha NOTA FISCAL,SONEGAÇÃO FISCAL.

  • ANTONIO LUIZ DE CARIO

    Moro em Ribeirao Preto, tambem estou com poplema para ir conhecer jac t5 espero que em breve o Sergio Habibi reinaugure a concessinaria aqui na cidade porque eu acho, que este novo carro vai ser um sucesso de vendas, pois tenho j3 estou feliz com carro. obrigado

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência