Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Conjuntura | 14/03/2013 | 17h14

Custo industrial subiu 6,3% em 2012, diz CNI

Indicador inclui custos de produção, mão de obra, insumos, importados e matérias-primas

AGÊNCIA BRASIL

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou na quinta-feira, 14, que o setor teve custo 6,3% superior em 2012 em comparação ao ano anterior (2011). As informações são do Indicador de Custos Industriais referente ao quarto trimestre do ano passado. O levantamento considera o custo de produção, de capital de giro e com impostos.

De acordo com os dados da confederação, os preços dos produtos manufaturados subiram 4,9% de um ano para o outro, com redução na margem de lucro das empresas. O principal fator para esse resultado foi o custo com produtos intermediários importados e com pessoal, sendo que os gastos com insumos e matérias-primas importados aumentou 15,3% no ano. Por outro lado, o custo de capital de giro ficou menor e teve queda de 24,8%.

Na avaliação da CNI, o aumento de 8,3% no custo de produção é o maior desde 2008, quando o índice subiu 8,6%. O destaque foi a elevação nas despesas com pessoal (10,8%) e com produtos intermediários (7,8%), liderado pelos preços dos importados (15,3%). O custo de energia subiu 4,3%.

Mesmo com alta de 5,6% no custo tributário, observada na comparação entre 2011 e 2012, a entidade destaca que no quarto trimestre do ano passado houve queda de 0,8% com relação ao mesmo período de 2011 devido aos impactos das medidas tomadas pelo governo para diminuir a carga tributária da indústria, como a desoneração da folha de pagamentos e a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Outro fator, considerado positivo, foi a queda de 24,8% do custo de capital de giro, patrocinada pela política de redução dos juros do Banco Central e dos bancos públicos.

De qualquer forma, a CNI conclui que o crescimento dos custos industriais está perdendo força. “A alta no quarto trimestre sobre o mesmo período de 2011 foi de 6,1%, enquanto no terceiro havia sido 8%. Tal movimento está atrelado à perda de ritmo do crescimento do custo com pessoal e com insumos importados, bem como à queda nos custos tributários e de capital de giro”, indica o estudo, acrescentando que o comportamento recente da taxa de câmbio sugere uma perda de importância no processo de recuperação da competitividade da indústria.

Para os industriais, a manutenção desse processo em 2013 demanda mais ações para a queda do custo Brasil: tanto os custos de produção da indústria, como os gastos sistêmicos da economia brasileira.



Tags: Custo industrial, CNI, produção, insumos, matéria-prima, importados.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência