Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Tecnologia | 26/02/2013 | 18h57

Voith mostra nova transmissão automática 884.5

Derivada da família Diwa.5, ela está nos chassis superarticulados Mercedes-Benz O 500 UDA

MÁRIO CURCIO, AB

A partir de desenvolvimento conjunto com a Mercedes-Benz e a empresa de ônibus urbanos VIP, a Voith mostrou a nova transmissão automática 884.5, derivada da família Diwa.5, em princípio fornecida só para o novo chassi O 500 UDA articulado de 23 metros, que começa a ser incorporado à frota urbana de São Paulo (leia aqui). A caixa combina dois conceitos, um sistema hidromecânico continuamente variável (que faz as vezes da primeira marcha e é ideal para ciclo urbano de trabalho) e outro sequencial com três velocidades. É o que a Voith chama de CVT+3, que resulta em acelerações suaves durante a fase de arranque do ônibus. O conjunto também é dotado de retarder, que aumenta a eficiência das frenagens.

“Este veículo (o Mercedes-Benz O 500 UDA) teve desenvolvimento para uso misto, ou seja, para rodar dentro e fora dos corredores”, afirma o gerente executivo da Voith para a América do Sul, Rogério Pires. “A tecnologia Euro 5 favoreceu o desenvolvimento dessa transmissão, pois a evolução eletrônica (que acompanha a nova legislação de emissões) permite a maior comunicação com o restante do veículo”, explica Pires.

O índice de nacionalização do conjunto é baixo: “As interfaces elétricas e mecânicas com o ônibus são feitas no Brasil, assim como alguns itens da própria transmissão, como suportes, bocais e peças do circuito hidráulico”, informa Pires. “A montagem e os testes finais também são feitos aqui.”

O executivo afirma que componentes eletrônicos e mecânicos ainda não são feitos no País porque a dinâmica de evolução desses conjuntos é muito rápida. A intenção é aumentar o conteúdo local à medida que cresça a utilização de transmissões automáticas em ônibus urbanos.

Durante a demonstração prática do novo câmbio, um monitor instalado no ônibus mostrava detalhes como rotação do motor, inclinação do piso, altitude, temperatura do fluido de transmissão, marcha engatada e outros parâmetros importantes.

“Esses dados de telemetria são fornecidos pela própria transmissão. Existem veículos com transmissões nossas rodando em Dubai (nos Emirados Árabes). Essa frota é monitorada dentro da Alemanha, onde temos condição de detectar condições cada detalhe dos veículos. Não estamos muito longe disso aqui no Brasil”, garante Pires.

A Voith já montou no Brasil 10 mil transmissões automáticas para ônibus. A primeira foi em 1993. A partir de 2001 começou a fornecer um número mais expressivo desses equipamentos. Para a cidade de Curitiba foram 500 unidades, para São Paulo, 1,5 mil e para Santiago (Chile), 1,8 mil.



Tags: Mercedes-Benz, VIP, Voith, Rogério Pires, transmissão automática, superarticulado, hidromecânico, O 500 UDA, Alemanha, Dubai, Curitiba, Santiago.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência