Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mobilidade | 25/02/2013 | 12h55

Espaço para cima

Trânsito nas cidades causará mudanças nas proporções do automóvel

FERNANDO CALMON, PARA AB

Embora nos grandes centros urbanos dos países centrais o crescimento da frota seja quase exclusivamente vegetativo, ainda continua a aumentar. Como espaço para ampliação das vias está esgotado, algo precisa acontecer para manter o fluxo de veículos no futuro dentro de parâmetros razoáveis. Até entre os emergentes o problema de circulação vai se agravar ao longo do tempo.

Se não se torna possível alargar ou abrir novas ruas e avenidas, o jeito é diminuir o tamanho dos veículos. Carros estreitos apresentam limites. Há planos da Volkswagen, mas até agora não existe um citadino de produção seriada, de dois lugares, em que o passageiro viaje atrás do motorista, reduzindo de forma drástica a largura. Outra forma é encurtar o comprimento. Mas também aí os ganhos são limitados.

A única dimensão em que os automóveis podem crescer, sem ocupar espaço viário, é para cima. Assim, mais pessoas se acomodariam a bordo, sem agravar tanto os problemas de trânsito. Elevar o teto aumenta área frontal e piora a aerodinâmica, porém não é problema em baixas velocidades dos deslocamentos urbanos.

Agora surge um carro-conceito da visionária empresa suíça Rinspeed. O fundador e principal executivo, Frank Rinderknecht, consegue todos os anos, no Salão de Genebra, apresentar algo novo. Sempre criativo, às vezes propõe coisas que beiram o delírio, mas dessa vez decidiu não exagerar.

Na próxima edição do salão, de 7 a 17 de março, Frank apresentará o microMAX que, para ele, revolucionaria a locomoção de curta distância, capaz de juntar os meios de transporte pessoal e público. “Recursos modernos de compartilhamento de veículos são baseados na internet e em telefones inteligentes, em tempo real. Para ir ao trabalho ou às compras pode consultar quem está disposto a oferecer ou aceitar uma carona. O microMAX oferece flexibilidade única em razão dos bancos que permitem motoristas e passageiros sentar eretos sem causar incômodos em curtas distâncias”, explica.

O carro tem apenas 3,6 metros de comprimento (9 cm menos que um Mille, por exemplo) e espaço amplo para motorista, três passageiros e um carrinho de bebê ou de compras. Com 2,2 metros de altura, permite instalar bancos em que as pessoas viajam quase em pé, sem perder muito conforto, e protegidas por cintos de segurança de três pontos. A sensação é de estar em uma sala de casa, pois inclui máquina de café, minibar refrigerado e sistema completo de conectividade e entretenimento.

O executivo espera que o seu veículo não sirva apenas como táxi, mas também possa atrair pessoas engajadas na ideia do transporte solidário e preocupadas em diminuir os congestionamentos e as emissões de CO2. Ele também imagina que um modelo desse tipo deva utilizar apenas propulsão elétrica. Nada comentou como conseguiria homologar o microMAX sem bolsas de ar e itens de segurança passiva.

Viajar em posição quase em pé ou semissentada surgiu na companhia aérea irlandesa de baixo custo Ryanair. A proposta era diminuir ainda mais as tarifas em voos curtos, ao transportar mais passageiros no mesmo espaço. Até os cintos de três pontos eram semelhantes. A ideia, porém, não prosperou.



Tags: mobilidade, automóveis, Volkswagen.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência