Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 14/02/2013 | 19h47

Venda de ações da Volvo salva lucro da Renault

Companhia turbinou resultado líquido de 2012 com alienação de ativos

REDAÇÃO AB

O Grupo Renault apresentou na quinta-feira, 14, os resultados financeiros apurados em 2012. O lucro operacional, relacionado à atividade principal da empresa (fabricar e vender carros), ficou na casa dos milhões, enquanto o líquido só chegou a € 1,7 bilhão (contra € 2,1 bilhões em 2011) por causa do ganho de capital com a venda, em dezembro, de € 924 milhões do saldo das ações que detinha da AB Volvo (caminhões).

De acordo com o comunicado divulgado pela empresa, o lucro operacional de 2012 totalizou € 122 milhões, uma vez deduzidas outras receitas e despesas operacionais, que ficaram negativas em € 607 milhões, principalmente em razão das depreciações relacionadas a vários veículos do grupo, a desvalorização da moeda iraniana e das despesas de reestruturação. Em 2011, o lucro operacional tinha sido de € 1,2 bilhão.

O faturamento da Renault, por sua vez, foi de € 41,2 bilhões, queda de 3,2% sobre 2011. O resultado foi impactado, como era de se esperar, pela retração de 18% no mercado europeu. Nem mesmo a alta de 9,1% nas vendas dos demais continentes foi capaz de compensar o impacto. A contribuição da divisão automobilística para o faturamento do grupo chegou a € 39,1 bilhões, em queda de 3,7% em relação a 2011.

A margem operacional diminuiu € 362 milhões no ano passado, para € 729 milhões (1,8% do faturamento), contra mais de €1 bilhão em 2011 (2,6% do faturamento). A margem operacional da divisão automobilística ficou negativa em € 25 milhões (-0,1% do faturamento), contra € 330 milhões em 2011 (0,8% do faturamento), por causa da crise e também do aumento da concorrência na Europa.

O fluxo de caixa livre da divisão automotiva ficou positivo pelo quarto ano consecutivo, totalizando € 597 milhões, permitindo ao grupo aumentar seus investimentos para 8,1% do faturamento.

PROJEÇÕES

A Renault aponta que o mercado europeu continuará incerto em 2013, registrando queda de 3%. Em contraponto, a indústria automobilística mundial (veículos de passeio e utilitários) deve crescer na mesma proporção em relação a 2012, impulsionado por demandas do Brasil (+1,5%), China, América do Norte, Índia e Rússia.

Nesse contexto, a francesa diz que manterá seu plano global. Na Europa, com o lançamento de novos modelos (Captur, ZOE, Novo Clio Estate, Novo Logan), o grupo pretende recuperar participação de mercado e consolidar a estratégia comercial de valorização de suas marcas.



Tags: Renault, balanço, resultado, vendas, Europa.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência