Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 22/01/2013 | 17h46

Sergio Habib: vendas não crescem em 2013

Presidente da JAC projeta estabilidade no segmento de automóveis e alta de 7% em caminhões

SUELI REIS, AB

O otimismo das entidades que representam as fabricantes e os distribuidores de veículos no Brasil, Anfavea e Fenabrave, cujas projeções apontam crescimento de 3,5% nas vendas de 2013, não contagiou o presidente da JAC Motors, Sergio Habib. Para ele, o mercado não avança este ano.

“Não vai crescer porque, apesar da expectativa de expansão maior da economia e da base de comparação fraca com 2012, há fatores como aumento nos preços dos carros, antecipação de consumo no ano passado por causa do desconto no IPI e crédito ainda restrito”, disse durante o lançamento do caminhão JAC T140 à imprensa realizado na terça-feira, 22.

Para Habib, as vendas de automóveis em janeiro estão mais fortes que o esperado porque ocorre o que ele chamou de “rebarba de emplacamentos”: clientes que compraram veículos em dezembro e que não conseguiram licenciar no mesmo mês.

“O início do ano passado foi muito ruim, a base de comparação é baixa, além disso tem o fator preço: os distribuidores estão vendendo estoques ainda com desconto maior no IPI. Mas em fevereiro haverá aumento de preço”, disse.

Ele acrescentou que o segmento de automóveis deve permanecer estável em 2013, com 3,63 milhões de unidades, e alcançará as 3,8 milhões de unidades em 2014, o que representaria alta de 5%. Já para caminhões, Habib espera expansão entre 7% e 10%, ainda assim, alerta que o crescimento não significa voltar aos níveis de venda de anos anteriores, já que os volumes do ano passado foram muito baixos.

Sobre as expectativas de vendas da JAC, Habib afirma que não haverá crescimento neste e no próximo ano devido às restrições nos volumes de importação. Habilitada no Inovar-Auto como importadora SNS Motors, a empresa de Habib tem o direito de importar 1,2 mil unidades até 31 de março deste ano sem a sobretaxação de 30 pontos porcentuais no IPI.

Após essa data, a empresa entrará com um novo requerimento de habilitação ao regime automotivo, desta vez, como investidor e futuro fabricante, que lhe confere o direito de importar o equivalente a 25% da capacidade produtiva de 100 mil unidades de sua fábrica que será erguida em Camaçari (BA).



Tags: JAC, Sergio Habib, vendas, mercado, automóveis, caminhões, Fenabrave, Anfavea.

Comentários

  • Bruno

    É uma previsão muito sensata, mas espero que não aconteça. O crescimento do mercado, principalmente automobilístico, é bom para o nosso país e para empresas como a JAC.

  • Marcio

    Também acredito que as coisas vão continuar mais oou menos como estão. O icentivo do IPI deve acabar até a metade do ano, e até as vendas devem se estabilizar! Isso é bom! Empresas emergente como a Jac te um tempinho de respirar e planejar. Se fosse eu, focaria na fábrica!

  • André

    De fato, não devem creser. Mas tb vi que a JAC foi o maior importador aqui do Brasil, e que o Brasil tb foi o mais representante na américa latina, para a Jac!

  • Marcio

    Se ele falo ta falado. Se tem uma coisa que o Sergio Habib é bom, isso seriam carros! O cara é fera. Basta observar o posicionamento que ele estipulou para os veículos JAC e a implantação que ele organizou para a Citroën, alguns anos atrás...

  • José Aparecido da Costa

    Gostaria muito que sr Sergio desse satisfações a seus clientes, para que diminuem as reclamações, quanto aos serviços prestados nas css, e tambem para solidificar as crenças no automoveis da JAC, POIS AINDA CAUSAM MUITAS INSEGURANÇAS, quanto a qualidade dos produtos e preços, por favor sr Sergio use a imprensa para pelo menos tranquilizar quem tem um JAC e os que querem um JAC, com certeza suas vendas irão para um patamar muito mais alto.. obrigado

  • Oliveira Pontes

    Com projetos arrojados como estes apresentados pela Jac, não tanho dúvidas que esta bandeira terá êxito de crescimento no Brasil. Concorrência acirrada, quem ganha é o consumodor que precisa mudar a cultura da mesmice, inveertendo os vaores, valorizando o que há de mehor em matéria de automóveis que proporcionam os chineses, sito a Jac

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência