Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Entidades | 05/12/2012 | 11h21

Reimer: desafios para a SAE Brasil avançar

Inovar-Auto incentivará crescimento da entidade

PAULO RICARDO BRAGA, AB

A SAE Brasil é uma entidade com organização exemplar, conduzida por dezenas de voluntários com o suporte de um staff permanente de 33 profissionais. Graças a uma bem estabelecida lista de procedimentos a serem obedecidos na gestão, a sociedade exige moderada intervenção de seu presidente, que recebe suporte de um board de diretores familiarizados com as rotinas da administração e estão envolvidos em uma expressiva rede de networking para tomada de decisões. Foi com esses argumentos que Ricardo Reimer, presidente da Schaeffler na América do Sul, convenceu a direção mundial, na Alemanha, de que assumirá, sem maiores restrições a suas funções na empresa, o comando da associação dos engenheiros automotivos.

A partir de 1º de janeiro, o executivo será empossado oficialmente no cargo, substituindo Wagner Galeote, diretor de manufatura da Ford Mercosul, para um mandato de dois anos. Com o caixa da SAE Brasil estabilizado, graças aos resultados do congresso anual promovido em outubro deste ano, a principal tarefa de Reimer será estimular o crescimento da entidade. “Já temos um grande envolvimento de estudantes. Agora é a vez de buscar maior participação dos profissionais da indústria automobilística”, diz. E explica: “Queremos crescer mais que o PIB.”

O principal argumento para atrair novos associados é o ambiente favorável à troca de conhecimento e experiências no campo da tecnologia, colocando em contato direto engenheiros maduros e jovens em fase de consolidação da carreira. A cultura do bom relacionamento está presente em todas as atividades da SAE Brasil, desde as reuniões internas até a realização de eventos como o congresso anual, simpósios e cursos. Há também as atividades específicas para estudantes, como as competições Baja, Fórmula SAE e Aerodesign, que mobilizam centenas de interessados em automobilismo e aviação.

A anualidade para se associar à SAE Brasil é de R$ 210. Muitas empresas costumam pagar uma parcela desse valor, incentivando a participação de seus profissionais nas atividades da entidade. O associado recebe uma assinatura da revista Engenharia Automotiva e tem desconto em todas as atividades pagas, como os simpósios e a apresentação de papersdurante o congresso anual. Informações podem ser obtidas pelo tel. 11 3287-2033.

Uma das prioridades de Reimer é fortalecer o congresso, responsável pela maior parte da receita da entidade (estimada em mais de 70%), sem descuidar dos demais eventos. Ele terá de equacionar a pulverização de simpósios, provocada pela expansão das representações regionais da SAE no País, que enfraquece algumas iniciativas.

A NOVA DIREÇÃO

Engenheiro mecânico e de produção pela FEI, com especialização em administração de empresas pela Fundação Getúlio Vargas, Reimer iniciou a carreira na Schaeffler em 1981, em São Paulo. Dez anos depois, trabalhou na matriz alemã, em Herzogenaurach. Em janeiro de 2000, tornou-se diretor-geral de operações INA no Brasil e em março de 2004 foi nomeado presidente da Schaeffler para América do Sul, com responsabilidade pelas operações da INA, FAG e LuK.

Na SAE Brasil, o executivo comandará 14 diretorias com 27 executivos. Frank Sowade, diretor da fábrica Anchieta da Volkswagen, será o vice-presidente da entidade. O congresso terá como chairman Roberto Bastian, diretor de logística, CKD e Infraestrutura da Mercedes-Benz do Brasil. Veja aqui o novo conselho diretor da SAE Brasil para o próximo biênio.

ANO DE INOVAR-AUTO

Reimer admite que o Inovar-Auto, criado pelo governo para disciplinar a evolução do setor automotivo no País, é um programa complexo, que exige constantes releituras, mas traz embutido um enorme incentivo à pesquisa, desenvolvimento, tecnologia e inovação – atividades que caem como uma luva entre as missões da SAE Brasil. “As empresas relacionadas à indústria automobilística estarão dispostas a reduzir 1,5 a 2 pontos do IPI com iniciativas nesse campo. E vão se esforçar bastante para isso ocorrer”, acredita Reimer.

Para ele, muitas empresas do setor já dispõem de tecnologias avançadas para aplicação imediata em sistemas e veículos. “Basta demonstrar a viabilidade financeira, que será facilitada com a disseminação de novas tecnologias”, afirma. É o caso da Schaeffler, que dirige: “Estamos prontos para acompanhar a evolução do Inovar-Auto”, garante.

Instalada em Sorocaba (SP), cidade que acaba de receber a Toyota, a Schaeffler já detectou dificuldades na contratação de pessoal especializado. “Não é uma exclusividade nossa. Todo o setor automotivo terá de equacionar a contratação de profissionais, possivelmente ajudando na sua formação”, observa, lembrando também que a SAE poderá contribuir nessa tarefa, promovendo a interação entre profissionais e empresas.

Com a carência de engenheiros especializados, os salários sobem no País, chamando a atenção até mesmo da matriz de empresas como a Schaeffler. “É difícil explicar que nossos empregados ganham mais do que os correspondentes na Alemanha”, diz a Reimer, exibindo uma edição da revista Exame que coloca como matéria de capa um artigo sobre a evolução da remuneração do trabalho no Brasil.

CRESCIMENTO DISCRETO

O presidente da Schaeffler no País demonstra otimismo moderado em relação a 2013. Ele analisa que depois de recuar cerca de 30% nas vendas este ano, a indústria de veículos comerciais vai se esforçar na retomada, embora os sinais da economia não sejam os melhores. “A trajetória de implantação do Euro 5 não foi nada satisfatória. Esperávamos, sim, uma queda nas vendas, mas não tão grande. O incentivo do Finame demorou a empurrar o mercado para a frente.” Pelas suas expectativas, as vendas de 2013 no setor de pesados não deve superar as registradas em 2011, ano de recordes.

E quanto aos veículos leves? “Por enquanto, só podemos torcer por um avanço moderado, especialmente se não houver algum estímulo na área do IPI”, analisa.



Tags: SAE Brasil, Schaeffler, Ricardo Reimer, engenharia, Ford Mercosul, Baja, Fórmula SAE, Aerodesign.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência