Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 24/10/2012 | 21h00

Receita automotiva da PSA recua 8,5% no terceiro trimestre

Vendas caíram 9% na Argentina e avançaram 5,5% no Brasil. Na Europa situação é crítica.

REDAÇÃO AB

O grupo PSA Peugeot Citroën divulgou na quarta-feira, 24, destaques de seu balanço no terceiro trimestre de 2012. O relatório informa faturamento global de € 12,93 bilhões, com queda de 3,9% em comparação com o terceiro trimestre de 2011. Já as vendas da divisão automotiva recuaram 8,5% no mesmo período, com o mercado europeu apresentando forte retração de 7,8% no fim de setembro.

A receita da Faurecia, empresa sistemista do grupo, cresceu 7,9%, enquanto o Banco PSA Finance perdeu 4,5%, refletindo a diminuição dos volumes de vendas na Europa.

O comunicado distribuído informa também a abertura do capital da Gefco, braço de logística do grupo francês, com negociações exclusivas com a RZD para a venda de 75% do capital, por um valor de € 800 milhões e € 100 milhões em dividendos.

A meta de redução de custos da PSA em 2012 foi estabelecida em € 1 bilhão.

ALIANÇA COM A GM

A PSA Peugeot Citroën e a General Motors anunciaram, ainda, a implantação das etapas-chave da aliança entre as duas companhias. Em conformidade com o acordo assinado em 29 de fevereiro de 2012, os parceiros selecionaram quatro projetos e confirmaram as próximas etapas visando à criação de uma organização comum de compras. O objetivo é concluir os contratos de aplicação até 31 de dezembro de 2012 para que a aliança possa ser efetivamente implementada. Os dois grupos confirmam os objetivos de sinergias já anunciados, estimados em US$ 2 bilhões anuais para ambos dentro de cinco anos.

PERSPECTIVAS PARA 2012

O grupo PSA prevê queda de 9% do mercado automotivo na Europa, um crescimento de cerca de 7% do mercado chinês, de 5% na América Latina e de 11% na Rússia.

O grupo também constatou, no terceiro trimestre, intensificação da concorrência devido à maior pressão exercida sobre os preços e à degradação contínua dos mercados na Europa do Sul.

Nesse contexto, a dívida líquida do grupo no fim de dezembro de 2012 deve chegar a cerca de € 3 bilhões, considerando elementos favoráveis, como a alienação de ativos em curso, e elementos desfavoráveis, como os ajustes de produção que serão efetuados no quarto trimestre e a evolução do fluxo de caixa da Faurecia.

A empresa entende que as medidas de corte de custos em 2012 estão em conformidade com o objetivo de € 1 bilhão para o ano. O plano de alienação de ativos continuou no terceiro trimestre com o início das negociações exclusivas com a RZD para a abertura do capital da Gefco, e será complementado pelo fim do programa de alienações de bens imóveis. O objetivo deste plano é de € 1,5 bilhão.

DIVISÃO AUTOMOTIVA

O faturamento da divisão automotiva no terceiro trimestre de 2012 apresentou queda de 8,5%, para € 8,5 bilhões, ante € 9,31 bilhões no mesmo período de 2011. Segundo a PSA, essa evolução reflete o fim da atividade de elementos desmontados no Irã desde fevereiro de 2012 e um recuo na Europa e na América Latina, parcialmente compensados pelo aumento dos volumes na China e na Rússia.

As vendas mundiais do grupo totalizam 625.267 veículos, em baixa de 6,3%.

O faturamento gerado pelas vendas de veículos novos no terceiro trimestre de 2012 foi de € 6,12 bilhões, contra € 6,69 bilhões no terceiro trimestre de 2011. Esse declínio de 8,4% é atribuído essencialmente a uma forte queda dos volumes de veículos montados fora da China, de 8,7%, sob o efeito de um mix de países muito desfavorável na Europa. A pressão sobre os preços é contínua, numa conjuntura de forte pressão comercial, afirma o comunicado da empresa.

Esses elementos adversos foram parcialmente compensados pela evolução favorável do mix de produtos de 2%, sob a impulsão dos novos e bem-sucedidos lançamentos e da progressão das vendas do Peugeot 208, após o lançamento na Europa dos motores a gasolina em julho e outubro.

Os estoques de veículos novos totalizavam 471 mil unidades no fim de setembro, registrando diminuição de 20 mil.

AMÉRICA LATINA

Segundo o relatório da PSA, no acumulado até setembro o mercado argentino apresenta leve queda, prejudicado pela forte baixa de 9% registrada no terceiro trimestre. O mercado brasileiro, amparado por medidas fiscais, apresenta crescimento acumulado de 5,5%, que beneficia principalmente o segmento B popular, no qual a presença histórica do grupo é fraca no País.

No fim de setembro a PSA Peugeot Citroën atingiu na região participação de mercado de 5%, ante 5,8% no mesmo período de 2011. Os volumes de vendas do grupo totalizam 203.265 veículos no acumulado de nove meses, após o lançamento bem-sucedido do novo Citroën C3 e do Peugeot 308, e antes do lançamento do Peugeot 208.



Tags: PSA Peugeot Citroën, Faurecia, Gefco, GM.

Comentários

  • milton f lima

    em 2008 eu tinha uma sw 208 amais completa era minha intençao trocala por outra mas atualisaçameia boca que fizeran no modelo me deixou estremamente decepsionado .vindo eu a trocala por um eco espote tenho certa simpatia pela marca mas so retornarei a comprar um veiculo da marca quan do seus lançamentos acompanharen omesmo nivel europeu em dzaigner e tecnologia detesto ser tratodo como cidadao de segunda classe

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência