Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Eventos | 23/10/2012 | 23h20

Chery mostra Celer, primeiro a ser produzido no Brasil

Modelo importado chega em dezembro com alterações para o mercado brasileiro

SUELI REIS, AB

A novidade que a Chery trouxe para o Salão do Automóvel de São Paulo será o primeiro veículo da marca chinesa a ser totalmente produzido fora de seu país de origem, na também primeira fábrica completa fora da China, em Jacareí (SP): o Celer (hatch e sedã), que teve sua pré-estreia durante o evento, chegará ainda importado nas 102 concessionárias da marca no País no fim de novembro.

Segundo o vice-presidente comercial da Chery no Brasil, Luis Curi, o modelo chinês sofreu algumas alterações para se adequar ao mercado brasileiro, como o motor 1.5 que aqui contará com o sistema flex da Magneti Marelli. Para o primeiro ano, o executivo projeta vendas entre 6 e 7 mil unidades, importante fatia do total de 35 a 40 mil que a marca espera vender em 2013.

O início da produção do Celer na fábrica brasileira está previsto para o período entre dezembro de 2013 e janeiro de 2014, das duas versões do modelo, sedã e hatch, para vendas no Brasil e em outros mercados da América do Sul, como Argentina, Chile, Colômbia e Peru.

Segundo Curi, o cronograma de construção da fábrica está dentro do previsto. “Já terminamos toda a parte da fundação e agora começa a montagem da estrutura metálica”, conta. A unidade que está sendo erguida no interior paulista receberá o total de US$ 400 milhões em investimentos e terá capacidade para 150 mil unidades por ano. O investimento é 100% subsidiado pela marca, sem intervenção do BNDES ou qualquer outra financiadora, garante o executivo.

O Celer marcará o início das operações industriais na Chery no Brasil, mas segundo Curi, a empresa já definiu os outros modelos que entrarão em linha futuramente, da categoria subcompacto. Ele diz que no Brasil contará com empresas de autopeças tradicionais no mercado para começar a produzir com o índice mínimo de nacionalização exigido pelo regime automotivo, em torno de 65%, e cita Bosch, Delphi, Magneti Marelli e Visteon. Informa ainda que a companhia esperava a publicação do novo regime para redirecionar os investimentos em pesquisa e desenvolvimento, mas que aportes para esta área já estavam previstos.

“Os percalços foram superados e estamos prontos para atender as exigências e especificações do novo regime: tenho a convicção que podemos nos considerar um novo player do setor no Brasil, com plano de crescer cada vez mais e atender um mercado que alcançará nos próximos anos a venda de 5 milhões de veículos ao ano.”

O plano de crescimento da Chery inclui readequação da rede de concessionárias, que além do Celer, devem receber mais dois novos modelos em 2013. A rede chegou a ter 132 revendas, mas perdeu 15 casas nos últimos meses.

Assista abaixo a entrevista exclusiva a ABTV de Zhou Biren, presidente da Chery International:



Tags: Chery, Celer, Salão do Automóvel, China, Luis Curi, regime automotivo.

Comentários

  • Alexander

    Mais informações sobre o Celler carro da Chery fiquei muito interessado em compra-lo Por Favor me de mais imformaçoes.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência