Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Caio avalia construção de nova fábrica
Vista aérea da fábrica da Caio em Botucatu (SP) que deve atingir o limite da capacidade no fim deste ano

Negócios | 08/10/2012 | 13h36

Caio avalia construção de nova fábrica

Plano estratégico inclui aquisição da Busscar

SUELI REIS, AB

A encarroçadora de ônibus Caio Induscar dará início ao seu planejamento estratégico no Brasil para os próximos cinco anos e um dos principais assuntos na pauta é a avaliação da construção de uma nova fábrica no Brasil. A informação é do diretor industrial Maurício da Cunha, que gerencia as operações da única fábrica da empresa no País, localizada em Botucatu, interior paulista.

Contudo, Cunha afirma que o planejamento de uma nova planta dependerá do patamar que o mercado alcançar em 2013. “Não podemos considerar este ano pela fraqueza do mercado, devido à antecipação de compras de 2011 e com a entrada de uma nova tecnologia para atender o Proconve P7. Mas os negócios no setor devem retomar o fôlego neste último trimestre e vamos avaliar o que vai acontecer em 2013: pode ser que o governo sinalize algo como em manter os juros baixos para o Finame PSI, então temos de esperar para analisar o desempenho do setor”, explicou.

A necessidade de uma nova planta é iminente. A unidade de Botucatu deve alcançar em 2013 o limite de sua capacidade, de 12 mil unidades por ano, informa o executivo. Nos últimos três anos, a Caio investiu R$ 50 milhões para ampliar a produção em 50%, de 25 para 38 carrocerias por dia. Hoje, o ritmo diário é de 36 unidades, das quais cinco são de modelos rodoviários. “Devemos atingir nosso limite entre o fim deste ano o e início de 2013.”

Outro fator que deve influenciar a decisão por uma nova fábrica é o mix de produtos. O volume de 12 mil unidades por ano considera apenas carrocerias simples - atualmente 60% da produção anual são do Apache Vip, urbano que foi reestilizado para manter sua atratividade no mercado. Isso significa que o volume anual pode variar para baixo caso a montagem se concentre em modelos maiores ou mais sofisticados, como é o caso de biarticulados para corredores BRT, segmento no qual a empresa investiu R$ 15 milhões no desenvolvimento da linha, que deve alterar significativamente os volumes de produção no próximo ano.

“Encerraremos este ano com a entrega de 300 unidades de carrocerias para veículos BRT e em 2013 estimamos que a produção chegue a 500 unidades”, informa. Ele acrescenta que os BRTs devem representar 6% da produção no próximo ano.

BUSSCAR

Uma solução para a Caio pode ser a massa falida da Busscar, cuja falência foi decretada no fim do mês passado (leia aqui). “Hoje, nossos planos de crescimento de volume de produção e maior participação no setor rodoviário passa exatamente por essa possibilidade de negócio: a compra do parque fabril, das instalações e o aproveitamento da mão de obra qualificada da Busscar. Teremos outras saídas, se eventualmente o negócio não der certo, porque dependerá dos planos dos proprietários. Mas a Busscar tem estrutura boa, algumas coisas obviamente deverão ser modernizadas e há a necessidade de investimentos. Eles têm um histórico positivo e expertise de profissionais. Assim como em outros setores, nosso gargalo hoje é de mão de obra qualificada para ônibus, tanto é que boa parte dos trabalhadores da Busscar foi absorvida pelas montadoras e outras encarroçadoras.”



Tags: Caio Induscar, Busscar, ônibus, BRT, urbano, rodoviário, encarroçadora.

Comentários

  • jrferri

    VALE LEMBRAR QUE A IRIZAR ESTA NO MEIO DA FOTO?

  • Robersom Rozzi

    Somos uma empresa fabricante de Valvulas e Atuadores Pneumaticos, Conexões e Tubos de Nylon, fornecemos para diversas linha produtivas: Marcopolo Vollare, Mascarello, Caio Induscar, Neobus e ficamos honrados e fazer parte da evolução e desenvovimento deste mercado.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência