Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 02/10/2012 | 23h05

Continental começa a fazer ABS em janeiro

Fábrica em Várzea Paulista está sendo preparada

PEDRO KUTNEY, AB

A Continental começa a produzir no País, a partir de janeiro, a central de controle e sensores de ABS para freios, o sistema antitravamento de rodas que passa a ser obrigatório em 100% da frota produzida no País a partir de 2014 (60% já em 2013). A informação já havia sido divulgada em 2011 por uma das clientes do fornecedor, a Volkswagen, foi confirmada este ano pela empresa e agora Maurício Muramoto, presidente da Continental Brasil, revelou a data do início da operação, mas ainda não informa o investimento nem a capacidade a ser instalada na fábrica de Várzea Paulista (SP), que abriga a divisão de chassis e segurança da sistemista, onde será feito o sistema.

Por enquanto, no Brasil, só a Bosch fabrica o sistema ABS. Com a entrada em vigor da nova legislação, muitos fabricantes de veículos procuraram por uma segunda opção. Se produção atingir algo como 4 milhões de veículos em 2014, estima-se que Continental e Bosch vão dividir o mercado com cerca de 2 milhões de unidades/ano para cada uma. No mundo, a Continental é a segunda maior fornecedora do sistema, atrás justamente da Bosch.

Outro incentivo do aperto da legislação de segurança é a obrigatoriedade de instalação de airbags frontais em 100% da frota fabricada, também a partir de 2014. Muramoto confirmou que a Continental vai produzir aqui a central de controle do sistema em Salto (SP). Mundialmente a empresa é líder no fornecimento dessa central.



Tags: Continental, ABS, airbag, Várzea Paulista, Salto, investimento, Maurício Muramoto.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência