Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Trabalho | 03/08/2012 | 12h57

Alckmin acena com solução para General Motors

Governador diz liberar créditos de ICMS para impedir demissões em São José

AGÊNCIA ESTADO

O governo de São Paulo está disposto a liberar crédito de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para a General Motors investir na planta de São José dos Campos, no interior do Estado. O governador Geraldo Alckmin espera impedir que a montadora leve adiante a demissão de 1,5 mil funcionários.

"Vamos liberar crédito de ICMS para incentivar o investimento", disse Alckmin, na noite desta quinta-feira, após encontro com representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. "Vamos entrar em entendimento com a GM e com o governo federal sobre isso", afirmou.

Segundo o presidente do sindicato, Antonio Ferreira de Barros, o encontro foi positivo. “O governador foi contrário às demissões e se comprometeu a usar os mecanismos de que dispõe para a montadora investir em uma nova linha de veículos em São José dos Campos.”

No encontro, Alckmin foi favorável à proposta dos trabalhadores da GM pela manutenção da montagem do Classic em São José dos Campos, cuja produção diária foi reduzida nesta sexta-feira, 3, de 375 para 80 carros. Segundo o sindicato, a GM passará a importar 6 mil unidades por mês do sedã da Argentina, onde o Classic já é produzido.

A fábrica de São Caetano do Sul também faz o carro, mas esta não comportaria o aumento de produção. Alckmin também afirmou que o secretário estadual de Relações do Trabalho, Carlos Andreu Ortiz, participará da reunião que ocorre neste sábado, dia 4, quando GM e sindicato voltam a discutir o futuro dos trabalhadores da fábrica. O encontro será às 9 horas na Prefeitura de São José dos Campos.

No Palácio dos Bandeirantes, Alckmin comprometeu-se a conversar com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que nesta semana tratou a iminência de demissão de até 2 mil trabalhadores como um “problema localizado”. Na paralisação da Rodovia Presidente Dutra desta quinta, 2, trabalhadores da GM carregavam uma faixa com a frase “Ministro Guido Mantega, cale a boca!”. Na manhã desta sexta-feira, Mantega adotou nova postura.

Por meio de sua assessoria de imprensa, ele afirmou que não vai tolerar o descumprimento nos acordos de não demissão dos setores beneficiados pelo estímulo de redução de IPI dado pelo governo. Segundo o ministro, demissões serão interpretadas como descumprimento do acordo. A mensagem não faz menção a nenhum setor específico, mas tudo indica que seja direcionada à GM em razão da iminência de demissões na cidade do Vale do Paraíba.



Tags: Governador, Geraldo Alckmin, metalúrgicos, sindicato, Palácio dos Bandeirantes, Guido Mantega, Antonio Ferreira de Barros, Carlos Andreu Ortiz.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência