Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
General Motors impede entrada dos trabalhadores em São José

Trabalho | 24/07/2012 | 15h29

General Motors impede entrada dos trabalhadores em São José

Montadora fechou as portas da fábrica na madrugada da terça-feira, 24

REDAÇÃO AB

A General Motors fechou as portas da sua fábrica de São José dos Campos, interior de São Paulo, na madrugada da terça-feira, 24. Segundo o sindicato dos metalúrgicos da região, a companhia dispensou os trabalhadores do terceiro turno que estavam dentro da planta. Os funcionários do primeiro turno foram avisados de que não iriam trabalhar já no ponto de ônibus e o transporte para a unidade foi cancelado.

“Esta atitude antidemocrática da GM se caracteriza como locaute (paralisação patronal), o que é proibido pela legislação brasileira”, acusou a entidade em comunicado. Segundo indica o sindicato, a medida da GM foi tomada às vésperas de reuniões da montadora com a organização e o governo federal.

Os trabalhadores afirmam que circulam na empresa informações não oficiais de que a General Motors anunciará demissão em massa até o fim desta semana. O sindicato prepara assembleia para a quarta-feira, 25, quando haverá ainda uma reunião entre a entidade, a fabricante de veículos, o Ministério do Trabalho e a Prefeitura de São José dos Campos.

O complexo de São José dos Campos emprega cerca de 7,2 mil pessoas. Um das fábricas, a MVA, é responsável pela produção do Corsa, Classic e Meriva. Estas linhas, no entanto, devem ser desativadas em breve, já que os modelos são antigos e a GM está em fase de renovação do portfólio. No complexo são fabricadas também a picape S10, motores, cabeçotes e componentes.

A negociação começou quando a empresa indicou que poderia demitir 1,5 mil trabalhadores. O assunto foi levado ao Governo Federal. Os sindicalistas destacaram que a companhia estudava dispensar funcionários apesar dos incentivos concedidos recentemente para estimular as vendas de carros, como a redução do IPI.

Em comunicado, a General Motors apontou que a decisão de fechar a fábrica tem como objetivo proteger a integridade física dos trabalhadores. “A empresa considerou as fortes evidências de mobilizações internas no complexo e entende que o momento atual é delicado e prefere não expor seus empregados a eventuais incitações e provocações comuns”, aponta. A fabricante quer discutir se é viável manter a produção da unidade MVA.



Tags: General Motors, São José, GM, trabalhadores, produção, fábrica, MVA.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência