Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 17/07/2012 | 21h59

Vendas de veículos recuam na quinzena, mas seguem tendência de alta no mês

Emplacamentos tiveram retração de 2,9% nos primeiros 11 dias úteis de julho

REDAÇÃO, AB

As vendas de veículos recuaram 2,9% na primeira quinzena de julho em relação ao mesmo período do mês passado, para 177 mil unidades. Na comparação com o resultado registrado há um ano, no entanto, houve alta de 15,2%. Os dados do Renavam foram divulgados pela Fenabrave, federação dos distribuidores, na terça-feira, 17.

A entidade considerou os emplacamentos dos primeiros 11 dias úteis do mês, do dia 1º até a segunda-feira, 16. Por isso os números apontam para queda pouco maior do que a antecipada por Automotive Business (leia aqui). “É normal os emplacamentos diminuírem nas segundas-feiras”, explica Julian Semple, consultor da Carcon Automotive. A média diária de vendas caiu mais de 5% comparando o número registrado em junho com o da primeira metade deste mês, para 16 mil veículos/dia.

A retração, no entanto, não indica que a curva de expansão do mercado se reverteu. O resultado do início do mês passado foi inflado artificialmente por compras realizadas no fim de maio que só foram concretizadas em junho, já que muitas concessionárias precisaram refaturar o carro com preço menor depois que o governo anunciou a redução no IPI. O período de férias escolares também reflete nas vendas. Muitos pais aproveitam o mês para saírem de férias com os filhos.

Mesmo com a redução do ritmo na primeira metade de julho, o resultado deve ficar próximo do anotado em junho, quando foram licenciados 353,2 mil veículos novos. O motivo é que este mês tem vantagem de dois dias úteis em relação ao anterior. Previsão da MB Associados aponta para um mercado de 318,2 mil unidades. O nível elevado de emplacamentos deve se manter até 31 de agosto. Se não houver mudanças, a partir daí o governo voltará a cobrar a alíquota integral do IPI.

O consultor Ayrton Fontes, especializado em varejo automotivo, indica que as vendas diretas voltaram a crescer e tiveram participação importante nos emplacamentos do período. Segundo ele, os frotistas, principalmente as locadoras, estão aproveitando o desconto no tributo para renovar suas frotas. Por outro lado, as vendas a pessoas físicas seguem mais restritas por causa das dificuldades para a liberação de crédito. Apesar da redução dos juros, os prazos estão mais curtos e há exigência de entrada. Com isso, parte da população que tem a renda comprometida com outras dívidas não consegue comprar um carro novo.

Confira o desempenho da primeira quinzena de julho por segmento:

LEVES

Impactadas pela redução do IPI, as vendas de veículos leves aceleraram 18,5% sobre a primeira quinzena de julho de 2011, para 170,6 mil unidades. Quando a comparação é feita com o mesmo período do mês anterior, no entanto, há queda de 2,8%. Foram emplacados 136,1 mil automóveis, com queda de 3,5% na base mensal e expansão de 2,5% na anual. Considerando comerciais leves, houve redução tímida de 0,2% sobre o mês passado e elevação de 18,5% sobre igual intervalo do ano anterior.

PESADOS
Com 6,4 mil emplacamentos, as vendas de veículos pesados caíram 5,4% sobre a primeira quinzena de junho e 33,9% em relação ao início de julho de 2011. O tombo no segmento de caminhões foi de 5% na comparação mensal e de expressivos 34,9% na anual, para 5,4 mil licenciamentos. Já os fabricantes de ônibus somaram vendas de 984 unidades, com redução de 7,6% na comparação com o mês passado e de 27,7% sobre o mesmo intervalo de 2011.



Tags: vendas, veículos, Fenabrave, Renavam, mercado.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência