Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Trabalho | 27/06/2012 | 17h25

Metalúrgicos da GM protestam no Vale

Paralisação afetou setor MVA por duas horas

MÁRIO CURCIO, AB

Os metalúrgicos da General Motors de São José dos Campos (SP), no Vale do Paraíba, atrasaram em duas horas nesta quarta-feira, 27, a produção do setor MVA, onde são feitos Classic, Corsa, Meriva e Zafira). A ação deu início à campanha em defesa do emprego na General Motors. A mobilização ocorreu em resposta à ameaça de fechamento do MVA, que atualmente emprega cerca de 1.500 trabalhadores. Durante a paralisação, cerca de 60 veículos deixaram de ser produzidos.

No dia 18 de junho, a montadora encerrou o segundo turno do setor MVA e no dia 22 reabriu o Programa de Demissão Voluntária (PDV), que havia terminado no dia 15 com 186 adesões. O novo PDV se estende até 2 de julho. Em uma apresentação no Simpósio de Manufatura Automotiva, realizado segunda-feira, dia 25, em São Paulo, o vice-presidente de manufatura da GM América do Sul, José Eugênio Pinheiro, afirmou que a empresa pretende “localizar os novos produtos em plantas mais competitivas”, referindo-se à falta de investimentos na fábrica de São José dos Campos (leia aqui).

Ele afirmou ainda que a “tendência natural é de enxugamento da mão de obra”.

No entanto, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos afirma que a GM em São José dos Campos tem plena capacidade para receber novas linhas. A entidade já propôs à montadora que passe a produzir ali 100% do Classic. Hoje, parte da produção do sedã de entrada ocorre em São Caetano do Sul e em Rosário, na Argentina. Se a GM adotasse a proposta do sindicato, o MVA poderia voltar a produzir em dois turnos, sem a necessidade de novos investimentos. No dia 18, com o encerramento do segundo turno do MVA, os trabalhadores foram transferidos para o setor S10, onde a picape é produzida em três períodos.

Na sexta-feira, 29, o sindicato reúne-se com a GM para discutir a situação dos trabalhadores do MVA e os planos da empresa para a fábrica de São José dos Campos. Na assembleia desta quarta-feira, que reuniu cerca de 3,8 mil trabalhadores do MVA e S10, os metalúrgicos aprovaram a mobilização contra o fechamento do MVA, pela manutenção dos postos de trabalho e pela produção integral do Classic na fábrica de São José dos Campos.



Tags: Metalúrgicos, São José dos Campos, General Motors, Corsa, Classic, Meriva, Zafira, MVA.

Comentários

  • João

    Os metalúrgicos da GM de São José dos Campos/SP deveriam se desfiliar do sindicato em represária a atuação deste em não aceitar e radicalizar com a montadora em propostas de longo prazo apresentadas pela GM, em consequência houve uma desmotivação por parte da montadora em criar novas plantas no local.

  • asarias

    O sindicato tem que ser mais flexivel, não se concegue mais nada na base do "grito", tem que saber negociar isso é uma queda de braço entre as partes. o sidicato tem que ser do lado do trabalhador, mas tbem tem que ter moral com a empresa, o sindicato tem que ter conciencia de que se a cia não vai abrir mão de um objetivo e o poder ta com ela, então as vezes é melhor perder aqui mas ganhar ali.será que nossos representantes realmente sabem negociar com a cia? um bom negociador tem que ser um profissional com a técnica de convencer de persoadir, de convencer. um bom negociador nunca perde em uma negociação.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência