Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Trabalho | 22/06/2012 | 16h21

GM abre novos programas de demissões em SP

Desta vez, PDV afeta também São Caetano do Sul

REDAÇÃO AB

A General Motors anunciou nesta sexta-feira, dia 22, a abertura de um novo Programa de Demissões Voluntárias (PDV) em São José dos Campos (SP), o segundo em menos de um mês. Desta vez, a montadora estendeu a medida também à fábrica de São Caetano do Sul (SP). Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, o PDV foi aberto nesta sexta-feira, 22, e se encerra no dia 2 de julho para todos os trabalhadores da produção.

No programa anterior, encerrado em 15 de junho, houve 186 adesões. No período de um ano, a GM já fechou cerca de 2 mil postos de trabalho nas fábricas de São José dos Campos e São Caetano do Sul. A montadora não informou quantas demissões pretende atingir com esse novo programa. Para o sindicato, o PDV seria desnecessário por não haver mão de obra excedente e porque as vendas do setor automotivo tiveram crescimento significativo depois da redução de IPI concedida pelo governo.

O Sindicato também defende a reabertura do segundo turno do MVA, onde são montados Corsa, Meriva e Zafira. “Não há motivo para a GM continuar demitindo, principalmente porque tem recebido incentivos do governo, que deveria cobrar da empresa a manutenção dos postos de trabalho”, afirma o presidente do sindicato, Antônio Ferreira de Barros. “Além disso, os cortes vão sobrecarregar ainda mais os trabalhadores que continuarem na fábrica.”

O presidente do sindicato reuniu-se nesta sexta-feira com o secretário de Relações do Trabalho de São José dos Campos, Ricardo Dinelli, e com o secretário de Desenvolvimento Econômico, José de Mello Corrêa, para discutir a situação dos trabalhadores da GM. O sindicato voltou a cobrar que a prefeitura se posicione diante das demissões que vêm ocorrendo na GM e interceda para que o governador Geraldo Alckmin receba o sindicato.

O secretário Dinelli, entretanto, afirmou que não vai se manifestar sobre as demissões e não quer envolver o governo do Estado no assunto. Ele afirmou ainda que só se manifestará em caso de demissão em massa. O presidente do sindicato também apresentou aos secretários as propostas que foram encaminhadas à GM como forma de garantir a manutenção e ampliação dos postos de trabalho na fábrica.

O QUE PROPÕE O SINDICATO À GM:

- manutenção dos postos de trabalho;
- produção de 100% do Classic em São José dos Campos;
- nacionalização da produção dos veículos trazidos do exterior;
- volta da produção de caminhões em São José dos Campos;
- reabertura do segundo turno do MVA;
- reintegração dos demitidos.



Tags: GM, General Motors, PDV, São José dos Campos, São Caetano do Sul, sindicato, metalúrgicos, Antônio Ferreira de Barros, MVA, Ricardo Dinelli, José de Mello Corrêa.

Comentários

  • ANTONIO WELLINGTON

    As empresas estão se beneficiando com os recursos do governo depois elas demitem.O governo está patrocinando as demissões com as reduções tributarias.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência