Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Comerciais | 24/04/2012 | 19h30

Navistar quer vender caminhão JAC no Brasil

Modelos chineses podem ser fabricados aqui pela International

Pedro Kutney, Automotive Business

Foto: caminhão JAC virá ao Brasil pelas mãos da Navistar International.

Pedro Kutney, AB

A americana Navistar International e a chinesa Anhui Jianghuai Automobile (mais conhecida como JAC), que mantêm na China sociedade para a fabricação de caminhões e motores diesel, anunciaram na terça-feira, 24, a assinatura de uma carta de intenção para ampliar os negócios entre as duas companhias, incluindo a comercialização de caminhões leves e médios no Brasil. Divulgado durante o Salão de Pequim (o Auto China 2012), que acontece esta semana, o acordo deve iniciar com a importação de veículos JAC para o mercado brasileiro, mas pode evoluir para uma integração maior, com a produção dos modelos aqui, na nova fábrica que a Navistar irá construir no País até 2013, em local ainda não definido.

“Na China, já temos uma parceria com a JAC para produção de motores diesel MaxxForce. Este novo acordo expande a cooperação entre nossas empresas, permitindo novas oportunidades de negócio para a rede de concessionárias International Caminhões no Brasil”, disse em nota distribuída à imprensa o presidente da Navistar South America, Waldey Sanchez, que está em Pequim para a negociação.

Sanchez, que já foi presidente da MWM International (fabricante de motores adquirida pela Navistar no Brasil em 2005), desde o ano passado assumiu a operação de caminhões da marca International, que hoje fabrica em linha alugada da Agrale em Caxias do Sul (RS) apenas dois modelos: o pesado 9.800i e o semipesado DuraStar. O executivo nunca escondeu que a intenção é ser uma marca “full range”, com linha completa de veículos leves, médios e pesados (leia aqui). Como a International só tem modelos de porte maior, o próprio Sanchez já disse que a solução seria “usar as parcerias internacionais”, como é o caso da JAC, para complementar o portfólio e assim “oferecer maior número de produtos aos concessionários o mais rápido possível”, conforme ele afirmou em outubro passado em entrevista a Automotive Business.

FABRICAÇÃO LOCAL

Além de ter mais produtos, também será necessário oferecer preços competitivos, o que fica difícil sem os juros baixos do Finame/BNDES – que só financia produtos com no mínimo de 60% de nacionalização – e com a sobretaxação imposta no Brasil sobre veículos importados. Juntando as duas necessidades, de preço e ampliação do portfólio, é possível apostar com boa margem de segurança que os caminhões JAC poderão ser feitos na nova fábrica da International no País, que receberá investimento de US$ 200 milhões e deve entrar em operação até o fim de 2013.

A JAC, muito antes de fabricar carros – importados para o Brasil pelo empresário Sérgio Habib desde o ano passado –, é um tradicional fabricante de veículos comerciais na China, com linha completa de produtos, que em 2009 firmou parceria com a Navistar para a fabricação em conjunto de motores com tecnologia da MWM International.



Tags: JAC, Navistar, International, caminhão, China, fábrica, Waldey Sanchez.

Comentários

  • noaldo

    é muito bom quando sabemos de novos investimentos nesse setor especifico do transporte rodoviario, embora o que o autonomo deste setor em particular o pequeno transportador ou seja o propietario que possui um ou dois caminhoes esse é abandonado por todos, a margem e ate mesmo marginalizado pelo sistema,pois os planos do governo é de cada vez mais desasisti-lo e ate extermina-lo tirando a todos de circulação. é só provar-me ao contrario.

  • paschoal consolmagno

    Parabens a Navistar e JAC por esta fusão entre as montadoras o Brasil precisa mesmo parar com este tipo de monopólio e brasileiro precisa parar de apostar só em Mercedes Bens e scania era até bom que todas as montadoras concorrentes da mercedes juntassem e e produzissem caminhões rapidos economicos confortaveis e custo baixo. Tambem os veiculos de carga leve pois só temos hoje a pick-up stradinha da fiat o resto é mais ´ra passeio veiculos com motor 1.4 e amortecedor trazeiro não aguenta estas estradas lastimavel no brasil e camioneta e caminhão foram feitos pra trabalho 70% mas aplica-se hoje passeio pela robustes.A navistar deveria fabricar um motor ja acoplado com ga GNV de fabrica e ou um motor diesel pra veiculos de carga leve.com mecanica boa e de facil acesso pois os eletronicos estãocomendo o brasileiro por uma perna quebrou tem que usar guincho. Imagine estar numa estrada rural .

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência