Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 09/04/2012 | 20h53

Como atrair as montadoras

Incentivos fiscais, mão de obra e infraestrutura são chamarizes utilizados

Marta Pereira, AB

Da esq. para a dir.: Mario Tanigawa (Sorocaba), Sérgio Costa (Investe São Paulo), Paulo Guimarães (Bahia) e Alberto Barbo (Goiás). Foto: Ruy Hizatugu

Marta Pereira, AB

Durante o III Fórum da Indústria Automobilística, realizado por Automotive Business nesta segunda-feira, 9, no Golden Hall do WTC, em São Paulo (SP), representantes dos Estados da Bahia, Goiás, Pernambuco e São Paulo e do município de Sorocaba (SP) apresentaram os principais atrativos para a instalação de polos industriais nesses locais.

Incentivos fiscais, linhas de crédito, mercado automotivo local em expansão, crescimento do PIB acima da média nacional, capacitação de mão de obra, infraestrutura logística, matriz energética e parques tecnológicos são algumas das vantagens oferecidas e que já seduziram Ford e JAC Motors (BA), Mitsubishi e Caoa/Hyundai (GO), Fiat (PE) e Toyota (Sorocaba), mais um bom número de fornecedores de autopeças.

Paulo Guimarães, superintendente de Desenvolvimento Econômico da Bahia, destacou, ainda, as regras claras e estáveis para a instalação de novas fábricas no Estado. Segundo ele, os mesmos benefícios concedidos à Ford, há mais de dez anos, foram oferecidos à JAC Motors, que estima o lançamento da pedra fundamental da sua planta, no Polo Industrial de Camaçari, para maio ou junho. No aspecto capacitação, a Faculdade de Tecnologia Senai Cimatec, sediada em Salvador, capital baiana, já formou mais de 8 mil profissionais para atender à demanda da Ford e autopeças locais.

Pernambuco entrou na rota recentemente. A nova fábrica da Fiat, no município de Goiana, está em fase de terraplenagem. Roberto de Abreu e Lima Almeida, secretário executivo de Desenvolvimento de Negócios, também apresentou números que atestam que a economia do Estado está em expansão, sendo um dos que mais crescem no setor de construção civil. O Porto de Suape é outro atrativo da região.

Alberto Barbo, assessor de Investimentos e Novos Negócios do Estado de Goiás, destacou, além dos benefícios comuns, a infraestrutura logística da região, com modais competitivos. Segundo os números apresentados, é a 73ª economia mundial. Outra expectativa é a criação do Parque Tecnológico em Anápolis, onde está instalada a fábrica da Caoa/Hyundai. Será o pioneiro na Região Centro-Oeste que além do crescimento econômico permitirá a integração de universidades com potencial científico e tecnológico.

Com o mesmo apelo, inovação e desenvolvimento tecnológico, Mario Tanigawa, secretário de Desenvolvimento Econômico de Sorocaba (SP), onde a Toyota está construindo sua terceira fábrica brasileira, falou sobre o Parque Tecnológico do município, cuja inauguração será em junho. O empreendimento é voltado à pesquisa e desenvolvimento de produtos e processos inovadores nas áreas eletrometalmecânica, automotiva, energias alternativas, tecnologia da informação e comunicação (TIC) e farmácia.

Encerrando o painel, Sérgio Costa, diretor da Investe São Paulo, Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade, apresentou a empresa, criada pelo governo do Estado para atrair investimentos e aumentar a competitividade da economia paulista, promovendo a geração de empregos, renda e inovação tecnológica.

A agência oferece consultoria para futuros empreendedores na região. Aspectos tributários, licenças ambientais, interlocução com governos, identificação das melhores áreas e prospecção de novos negócios são alguns dos serviços prestados, gratuitamente.



Tags: Fórum da Indústria Automobilística, polos industriais, JAC, Ford, Bahia, Pernambuco, Sorocaba, Caoa, Hyundai, Goiana, Suape.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência