Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Tecnologia e Engenharia | 26/03/2012 | 12h37

Avanço tecnológico foca nos carros compactos

Para sistemistas, inovação precisa caber no bolso do brasileiro

Giovanna Riato, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Foto: Da esquerda para a direita, Gábor Deák, da Delphi, Maurício Muramoto, da Continental, e Alfeu Dória, da Visteon, em painel no simpósio Novas Tecnologias na Indústria Automotiva, realizado pela SAE Brasil.(Ruy Hiza)

Giovanna Riato, AB


Os carros do segmento B (hatches compactos e suas derivações) serão o principal foco do avanço tecnológico da indústria automotiva brasileira nos próximos anos. A conclusão é dos representantes das empresas que fornecem os principais sistemas desses veículos. Eles participaram de painel durante o simpósio Novas Tecnologias na Indústria Automotiva, realizado pela SAE Brasil em São Paulo, na segunda-feira, 26.

Para os executivos da Delphi, Visteon e Continental presentes na discussão, agregar tecnologias aos veículos compactos é o único caminho para que o Brasil reverta a rápida expansão das importações. Na opinião deles, a inovação não deve chegar ao mercado apenas nos modelos topo de linha, mas principalmente nas categorias com preços menores.

Gábor Deák, presidente da Delphi para a América do Sul, destacou que as exportações brasileiras têm como destino apenas o México e os países da América do Sul. Por outro lado, as importações chegam de diversas regiões, incluindo China e Coreia. “Afinal, existe algum mercado que não seja capaz de produzir um carro que possa competir no Brasil?”, provocou, lembrando que a participação dos importados nas vendas internas saltou de 7% em 2006 para quase 25% nos primeiros meses de 2012.

O executivo destacou que o mercado nacional poderá crescer em torno de 6% por ano até 2015, impulsionado pelo avanço da classe média. O momento, ele avalia, é ideal para agregar conteúdo tecnológico aos carros. “Além de conquistar o consumidor local, temos o desafio de produzir veículos que possam ser vendidos internacionalmente também”, diz. Essa evolução nos produtos, contudo, deverá seguir o caminho de adaptar as inovações globais para o mercado local, garantindo preço compatível ao cliente brasileiro.

REGIME AUTOMOTIVO

Deák avalia que o aumento de 30 pontos porcentuais no IPI de carros importados não será capaz de estimular a indústria nacional. “Sobretaxar não vai resolver. Já vimos que as vendas de modelos produzidos no exterior não diminuíram no primeiro bimestre deste ano. Precisamos incentivar a inovação”, acredita.

Alfeu Dória, presidente da Visteon Brasil, aponta que “o Brasil não merece mais carros básicos, é preciso incluir novas tecnologias”. Para ele, os avanços devem ser perceptíveis ao consumidor, agregar valor ao produto. O executivo trabalhou por sete anos na China e chamou a atenção para o forte potencial do país asiático. A produção de veículos na região saltou de 700 mil para 7 milhões de unidades anuais no período em que Dória viveu lá. “O chinês é extremamente rápido e faz lançamentos em tempo recorde”, alertou.

O executivo afirma que as próximas medidas do regime automotivo brasileiro, que devem ser anunciadas no início de abril, precisarão incentivar a venda de carros produzidos no País, ampliar a pesquisa e o desenvolvimento e estimular a demanda por fornecedores locais. “Provavelmente teremos de voltar a produzir aqui componentes que eram importados”, prevê. Entre os desafios projetados está a necessidade de garantir flexibilidade aos volumes de produção e de entender a cultura dos novos players, vindos principalmente da Ásia.

Mauricio Muramoto, presidente da Continental para a América do Sul, explica que a principal tendência na indústria é agregar comunicação e informação no veículo. “As empresas que atuam no mercado brasileiro precisarão solucionar a equação de como fazer isso sem extrapolar os limites do bolso do consumidor local”, avalia.

Assista abaixo a entrevista exclusiva de Gábor Deák, da Delphi, para a AB WebTV:



Tags: tecnologia, carro, inovação, Delphi, Visteon, Continental.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência