Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Financeiras | 19/03/2012 | 18h39

Banco Luso Brasileiro aposta em financiamento de ônibus

Instituição é agora controlada pelas famílias Ruas e Cunha e pelo Grupo Américo Amorim

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Redação AB

O Banco Luso Brasileiro quer ampliar a presença em financiamentos para segmento de ônibus. O objetivo é fruto da nova estrutura societária da companhia, agora controlada pelas famílias Ruas e Cunha e pelo Grupo Américo Amorim.

Os primeiros têm grande participação na encarroçadora Caio Induscar e em empresas de transporte urbano da cidade de São Paulo, além de concessionárias de veículos da marca Mercedes-Benz. O novo sócio pretende tornar o banco referência no financiamento de veículos para o transporte de passageiros.

Já o Grupo Américo Amorim controla os bancos BIC Português, BIC Angola, Banco Único de Moçambique, Banco Popular da Espanha e tem ainda participação na Galp Energia, maior petrolífera de Portugal. O investidor permitirá que a financeira inicie um processo de internacionalização.

Com a entrada dos novos investidores, o patrimônio da corporação deve saltar de R$ 40 milhões para R$ 150 milhões. A previsão até o fim do ano é de que os ativos dobrem para R$ 550 milhões. A nova estrutura também acarretará mudanças no quadro de executivos. José Francisco Ribeiro, que já foi do Banco Mercedes-Benz, assume a presidência da instituição. Antonio Carlos Castrucci, que já presidiu o Banco Paulista, assumirá a vice-presidência e Homero Coutinho, ex-CEO do Deutsche Bank em Portugal, será CFO.



Tags: Banco Luso Brasileiro, ônibus, transporte de passageiros, crédito, financiamento.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência