Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Política e Legislação | 17/02/2012 | 11h59

Governo planeja flexibilizar IPI para carros importados a partir de março

Presidente da ABDI revela planos para o setor

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Redação AB

O governo planeja flexibilizar o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros importados de empresas que estão construindo fábricas no Brasil, disse o presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Mauro Borges Lemos, em entrevista em Brasília, DF, informou a agência Bloomberg. De acordo com Lemos, o governo também pretende reduzir a alíquota ao longo dos próximos quatro anos a partir de janeiro de 2013 para veículos que atendam níveis maiores de economia e segurança e que tenham maior nível de nacionalização.

“O IPI foi usado como freio de arrumação, agora vamos flexibilizar, reduzir. É um incentivo para acelerar o investimento. Nós estamos abaixo do nível tecnológico mundial. O que a gente quer é uma modernização.”

O presidente da ABDI informou ainda que a presidente da República apoia as medidas sobre mudanças no IPI e que os detalhes de como a redução será aplicada estão em fase de estudo. “O arcabouço do regime está pronto”, disse Lemos, principal conselheiro de política industrial do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), Fernando Pimentel.

Entre as empresas que podem ser beneficiadas pela iniciativa estão as chinesas JAC Motors, que tem planos de iniciar a construção de uma fábrica de US$ 600 milhões em Camaçari, BA, como parte de seu esforço para dobrar as vendas no Brasil até 2015, e a Chery, que constrói uma unidade em Jacareí, SP.

Henning Dornbusch, presidente da BMW no Brasil, disse no mês passado, que a empresa poderia construir uma fábrica no País caso o governo flexibilizasse o IPI para veículos importados. A montadora suspendeu seus planos após o anúncio da elevação do imposto em 30 pontos porcentuais para veículos com menos de 65% de conteúdo produzido localmente. A lista de beneficiados engloba ainda a Land Rover, que também manifestou a intenção de ter uma unidade produtiva brasileira. Seu presidente na América Latina e Caribe, Flávio Padovan, reuniu-se em dezembro passado com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Fernando Pimentel.

A medida do governo é parte do esforço para impulsionar a competitividade de fabricantes brasileiros. As montadoras locais perderam participação no mercado doméstico à medida que a alta de 35% do real frente ao dólar desde 2008 tornava carros importados mais baratos, especialmente os chineses. As importações de veículos cresceram 30% no ano passado. No total, carros fabricados no exterior representaram 23,6% do total de licenciamentos em 2011 contra 18,8% em 2010.



Tags: IPI, carro importado, MDIC, Fernando Pimentel, Mauro Borges Lemos, ABDI, alíquota, nacionalização, JAC Motors, Chery, BMW, Land Rover, Flávio Padovan.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência