Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 05/02/2012 | 18h49

Sinal vermelho no comércio com México e Argentina

Brasil perde na balança comercial de veículos com os dois países

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Redação AB, com informações da Agência Estado e Anfavea

Enquanto o governo procurava encontrar o caminho para renegociar o acordo automotivo com o México, que se tornou desfavorável ao Brasil, com o crescimento das importações de veículos, o ministro Fernando Pimentel, do MDIC, tratava de garantir, na sexta-feira, 3, que não existe crise nas relações com a Argentina, apesar do aumento da medida de controle de importações naquele país, que entraram em vigor neste mês. "As exigências que o governo argentino está implantando são vistas pelos empresários brasileiros como um dificultador do comércio entre os dois países. Temos de aguardar a entrada em vigor dessas medidas e ver se terão impacto negativo no comércio ou não", disse.

Os importadores argentinos não só terão de apresentar declaração juramentada à Receita Federal antes de realizar uma compra como também enviar uma nota de pedido, por e-mail, ao secretário de Comércio Interior, Guillermo Moreno, indicando todos os detalhes da importação desejada. A Câmara de Importadores da República Argentina (Cira) disse à Agência Estado que as importações só poderão ser realizadas após aprovação da declaração e do e-mail.

BALANÇA COM A ARGENTINA

Dados da Anfavea, colhidos junto à Secex, SPI e MDIC, apontam que em 2011 o País exportou US$ 5,403 bilhões em autoveículos à Argentina e importou US$ 6,142 bilhões, com saldo negativo de US$ 739 milhões. Na área de autopeças o Brasil obteve saldo de US$ 2,266 bilhões, com importações de 1,379 bilhão e exportações de US$ 4,645 bilhões. O País levou vantagem também no comércio de chassis, carrocerias, reboques e máquinas agrícolas e rodoviárias, com saldo de US$ 548 milhões, para exportações de US$ 656 milhões e compras de US$ 108 milhões.

No balanço geral dos três segmentos, o Brasil registrou saldo de US$ 3,075 bilhões na balança comercial de 2011.

Computados os resultados acumulados em doze anos, de 2000 ao final de 2011, o Brasil ficou com saldo negativo de US$ 1,438 bilhão no segmento de autoveículos, saldo positivo de US$ 11,386 bilhões em autopeças e US$ 4,545 para chassis, carrocerias, reboques e máquinas agrícolas e rodoviárias. No total geral, o Brasil teve saldo favorável de US$ 14,493 bilhões no período.



Tags: MDIC, Anfavea, acordos de livre comércio, autopeças, veículos.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência