Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado e Negócios | 20/12/2011 | 16h30

Ford: metalúrgicos lutaram por fábrica de motores

Sindicato de Camaçari diz ter brigado pelos empregos

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Mário Curcio, AB

A Ford conseguiu durante semanas abafar as difíceis negociações com os metalúrgicos que antecederam o anúncio de sua nova fábrica de motores na Bahia (leia aqui). “Foi uma briga do sindicato”, afirma Júlio Bonfim, negociador e diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari. “A Ford queria concentrar a produção desses motores no México e lutamos para que fosse aqui. Afinal, serão 550 novos empregos diretos e mais de 5 mil indiretos”, estima.

Tudo aconteceu praticamente sem que nenhuma notícia circulasse na grande imprensa. No último dia 8 de dezembro os metalúrgicos anunciaram em seu blog o resultado da negociação. Apesar da queda de produção e vendas da Ford, o sindicato obteve R$ 11.500 para cada um dos cerca de 10 mil trabalhadores do Complexo Ford, incluindo os trabalhadores dos 27 sistemistas que atuam diretamente na fábrica, como Participação nos Resultados (PR). “São cerca de 3.500 funcionários da Ford e outros 6.500 das parceiras”, estima Bonfim. “Pleiteamos esse valor por produtividade e com base na média paga em outros Estados. Também conseguimos abono de R$ 3.300 para pagamento em janeiro.”

Metalúrgicos

Trabalhadores do turno da manhã da fábrica de Camaçari votam em assembleia.


O sindicalista comenta as dificuldades enfrentadas na negociação: “A Ford ainda não tem um novo carro, vem perdendo mercado para a Renault, as vendas estão baixas e a produção caiu de 900 para 450 a 500 unidades diárias”, diz Bonfim.

Metalúrgicos de fornecedores instalados do lado de fora do complexo (Thyssenkrupp, Sian, Imbe e Magna) receberão R$ 6.710 como Participação nos Resultados e abono de R$ 2.300.

Veja a seguir os principais pontos do acordo da Ford Camaçari:

-R$ 11.500 de PR total, com pagamento neste mês a todos os empregados da manutenção e setores operacional e administrativo;
-Abono de R$ 3.300, com pagamento em janeiro a todos os empregados da manutenção e setores operacional e administrativo;
-Reajuste do Complexo Ford em 10%;
-10% de adicional sobre jornada para a estamparia;
-PR de 2012 também de R$ 11.500, mas corrigida, para todos os empregados da manutenção e setores operacional e administrativo.



Tags: Ford, Sindicato dos Metalúrgicos, Camaçari, Júlio Bonfim, México, Participação nos Resultados.

Comentários

  • anonimo

    eu so gostaria de saber porque os lesionados mesmo com cat fica de fora de tudo sera que ele pediu para se lesionar ou sofrer acidentes e depois ser tratados como cachorros sem direito a nada e nem tem pra quem recorrer por que o proprio sindicato que pagamos todo mes vira as costas entao pra quem recorrer? e um absurdo que passamos fora tanta humihacao fica na mao da ford fazendo o que quer sem colocar o complemento e aida por cima descontando todo mes o plano que nao era pra ser descontado e quendo voltamos ficamos um tempao sem receber pra cobrir despezas do medservice e por mais que se reclame fica por isso mesmo e uma vergonha.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência