Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Marketing e Lançamentos | 14/12/2011 | 12h49

PSA mostra motor EC5, que dá adeus ao tanquinho

Novo propulsor para o Peugeot 308 recebe Bosch Flex Start

Mário Curcio, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Mário Curcio, AB
De Porto Real, RJ

Como resultado de um investimento de R$ 100 milhões, a PSA Peugeot Citroën apresentou o motor EC5, um 1.6 de 16 válvulas que equipará o Peugeot 308. Neste carro, a ser lançado em 25 de fevereiro no Brasil, o propulsor utilizará a tecnologia Flex Start, da Bosch, que dispensa a utilização do tanquinho de gasolina porque pré-aquece o combustível antes de injetá-lo sempre que a proporção de etanol no tanque e a temperatura ambiente exijam isso no momento de ligar o carro.

Segundo a PSA, o propulsor é um novo projeto mundial e o mais potente de sua categoria, produzindo até 122 cv quando abastecido com etanol: “Ele utiliza comando de válvulas variável na admissão, componentes mais leves, processos que reduzem o atrito, polia de virabrequim oval para atenuar a vibração da correia dentada e também uma bomba de óleo variável, que reduz as perdas por bombeamento e economiza 1,2% em consumo de combustível”, afirma o chefe de projeto do EC5, Hernan Ariel Tolosa.

O sistema Flex Start é muito parecido com o que estreou no VW Polo Bluemotion em 2009, mas trará como novidade no 308 a função Wake-Up: “Ela faz a central eletrônica ECU ‘acordar’ (daí o nome em inglês) assim que o motorista abre a porta do carro. Neste momento a ECU identifica a temperatura ambiente e a proporção de etanol no tanque antes de o condutor virar a chave”, afirma o engenheiro de aplicação da Bosch, Márcio Leder. O Wake-Up elimina o tempo de espera de 5 segundos quando a temperatura ambiente é de 5 graus Célsius. Caso a chave seja de ignição seja colocada no contato antes do aquecimento completo do etanol, uma luz se acenderá no painel indicando que o sistema está em aquecimento. A partida só é permitida após essa luz se apagar.


Novo motor EC5 é equipado com o Flex Start, da Bosch. Detalhe no alto e à direita (com código de barras) é um dos quatro locais onde ocorre o pré-aquecimento do etanol. Componente isolado na foto é uma das lanças de aquecimento, que favorecem a pulverização do combustível em temperaturas mais baixas.

Segundo o profissional, o Wake-Up não implicou aumento no custo do Flex Start porque utiliza instalações já presentes no carro. A fabricante de autopeças acredita que, em 2015, 50% dos automóveis flexíveis utilizarão este ou outros sistemas semelhantes a fim de eliminar o tanquinho em 2015. Além da Bosch, outros fornecedores mencionados para o novo EC5 são a INA Schaeffler (variador de fase), KS (pistões), Mahle (bielas e anéis), Magma (bomba de óleo variável), Valeo (bobinas) e Litens (polia oval do virabrequim).

Segundo a PSA, o EC5 produz sua potência máxima a 5.800 rpm quando abastecido com etanol. Com esse mesmo combustível, o torque máximo de 16,4 m.kgf surge a 4.000 rpm com esse mesmo combustível. O EC5 é um projeto mundial, desenvolvido em conjunto pelas equipes da América Latina, França e China.

“É um motor melhor em tudo por oferecer melhor desempenho, economia e redução de emissões”, afirma o diretor de pesquisa e desenvolvimento da América Latina, François Sigot. De acordo com a PSA, o propulsor produz 80% do torque a partir de 1.500 rpm. Com seus avanços, resultou em uma economia de combustível de 7%.

A PSA não revelou todos os motores que estarão no308, mas neste primeiro momento apenas o EC5 terá o Flex Start como equipamento de série. Atualmente, a linha de motores da PSA produz um propulsor 1.4 e dois 1.6 de 16 válvulas, um deles o novo EC5 (nas versões a gasolina e Flex Start) e o outro, o antigo TU5. Este último poderia receber o sistema Flex Start com algum trabalho em sua ECU e na injeção, já que o coletor de admissão e a galeria de combustível do EC5 são compatíveis com ele.

A capacidade instalada de Porto Real é de 280 mil motores por ano, número que subirá para 400 mil unidades anuais como parte de um total de R$ 3,7 bilhões de investimentos da PSA no período 2010-2015. Como forma de reduzir o impacto ambiental, todos os fluidos utilizados na usinagem dos motores passam por centrífugas. São filtrados e voltam ao processo, não há descarte desse material. E os resíduos de ferro e alumínio provenientes desse processo são enviados aos fornecedores para reciclagem.

A unidade de usinagem recebeu uma nova prensa para o cabeçote e um equipamento para medição do estado da superfície dos cilindros do novo motor. Outro equipamento adquirido para a produção do propulsor EC5 realiza de forma automática a montagem do conjunto formado por biela, pino e pistão.


Linha de motores da PSA onde é feito o novo EC5 produz também o 1.4 e o 1.6 TU5, mais antigo. Fluidos utilizados na usinagem nunca são descartados. Passam sempre por filtragem. Resíduos de ferro e alumínio são enviados de volta aos fornecedores para reciclagem. Até 2015, capacidade passará de 280 mil para 400 mil motores por ano.



Tags: EC5, TU5, ECU, Flex Start, Bosch, PSA, Márcio Leder, Hernan Ariel Tolosa, François Sigot, Wake-Up.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência