Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Powertrain | 25/11/2011 | 16h54

Borg não para e projeta crescimento em 2012

Fabricante de turbos constrói fábrica em Itatiba e planeja novidades

Automotive Business

Paulo Ricardo Braga, AB

Na BorgWarner um terço dos 500 funcionários não vai tirar férias em dezembro, ocupado em atender as encomendas remanescentes dos fabricantes de veículos comerciais, clientes principais de turbos e embreagens viscosas para powertrain diesel produzidos na unidade de Campinas, SP. "O ano termina forte para o setor, embora o efeito das compras antecipadas de veículos Euro 3 não ocorra no volume elevado previsto", admite Arnaldo Iezzi Jr., diretor-geral (foto).

A empresa produzirá 320 mil turbos em 2011 e igual volume dos fan drivers utilizados em sistemas de arrefecimento, com avanço de 15% em relação a 2010. E embora seja possível antecipar um recuo de 15% nos pedidos do primeiro trimestre, 2012 deverá apresentar saldo positivo de 10% nas vendas.

Enquanto trabalha na construção da nova fábrica em Itatiba, no interior de São Paulo, que recebe metade dos investimentos de R$ 70 milhões do período 2010 a 2012 e estará operando no início de 2013, Iezzi faz planos para ampliar a linha de produtos locais. Resfriadores de gás de escape para sistemas EGR estão em avaliação e, embora tenham aplicação restrita sob a legislação Proconve 7 (Euro 5) no Brasil, ganharão impulso com a chegada de P8, equivalente a Euro 6. Atualmente o produto da marca, importado, é utilizado pela MAN e no motor MWM Sprint 3.2.

Podem sair das prateleiras, também, sistemas de acionamento por corrente para motores que serão úteis em projetos de downsizing, com maior eficiência e menor nível de ruído do que os proporcionados por correias tensionadas. "Os fabricantes de motores fazem contas para definir prioridade e vantagem em adotar propulsores menores, que podem se tornar eficientes com emprego de injeção direta e turbo. Possivelmente eles chegarão a partir de 2015", diz Iezzi.

Em futuro igualmente distante, poderão estar no porfólio embreagens wet dual clutch, como as utilizadas no Volkswagen Jetta mexicano. "Até 2016 essa solução deve ter um avanço expressivo em países desenvolvidos. Na Europa haverá um salto para 50% das caixas automáticas produzidas. Na China o patamar será de 40%", estima Iezzi.

TURBOS EURO 6

Completadas as tarefas de engenharia para adequar turbos aos padrões Euro 5, os vinte profissionais do departamento de desenvolvimento da BorgWarner já trabalham em Euro 6, adequando projetos disponíveis em outras unidades da empresa global por meio de simulações em computador para otimização. Lauro Takabatake, gerente de engenharia, explica que o powertrain diesel avançado passará a utilizar dois turbos, um menor, que entra em ação rapidamente, e um maior, em segundo estágio. A solução evita turbo lag e economiza energia.

Com raras exceções, os turbos da Borg Warner produzidos no Brasil são destinados a aplicações diesel, sendo 80% para caminhões e ônibus e outros 20% para picapes, vans e máquinas agrícolas. No Exterior, porém, é comum encontrar os produtos em carros de passeio, a gasolina ou diesel. Na Europa, a turboalimentação em veículos leves avançará dos 63% atuais para 80% em 2016, segundo estimativa da fabricante. Nos Estados Unidos, onde o turbo é menos comum, o crescimento será de 5% para 20%. Na Ásia, a evolução será de 17% para 20%.

O mercado de reposição no Brasil e países vizinhos absorve até 20% da produção de turbos na planta de Campinas, mas pode haver crescimento com a exigência de certificação de produtos para comercialização no mercado interno, a exemplo do que já ocorre com vidros e rodas de aço. As exportações da BorgWarner somam apenas 10% do total da produção.

Atualmente, 80% dos turbos da marca obedecem aos padrões P7. Os outros 20% correspondem a produtos exportados ou destinados ao mercado de reposição.

A Borg Warner está sozinha no mercado local de embreagens viscosas e passa a oferecer uma versão com comando eletrônico, que permite gerenciamento mais refinado dos sistemas de arrefecimento, evitando a operação da hélice em momentos desnecessários. O Visctronic promete, assim, redução de consumo de energia e ruído em powertrains diesel.



Tags: BorgWarner, turbo, embreagem viscosa, refrigeração, powertrain, downsizing.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência