Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Marketing e Lançamentos | 25/11/2011 | 03h17

Honda Civic 2012 quer voltar ao topo

Sedã renovado tem mais equipamentos e espaço para bagagem

Mário Curcio, AB

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Mário Curcio, AB

Até a segunda quinzena de janeiro, a linha 2012 do Civic estará nas concessionárias com uma meta estabelecida pela Honda, retomar o posto de sedã médio mais vendido do Brasil. O título foi perdido em outubro de 2009 para o Toyota Corolla, não por falta de competência, mas pela chegada naquele ano de um concorrente dentro de casa, o Honda City, com preço mais baixo.

“Queremos chegar à casa das 4 mil unidades por mês, o suficiente para voltar à liderança”, afirma o engenheiro mecânico e relações-institucionais da Honda, Alfredo Guedes. No acumulado do ano (de janeiro até a primeira quinzena de novembro), o Civic chegou a uma média mensal inferior a 2,1 mil unidades e o Corolla esteve acima de 4,2 mil neste mesmo período.

O modelo 2012 terá três versões, LXS, LXL e EXS, com preços, respectivamente, de R$ 69.700 (alta de 4,56%), R$ 72.900 (alta de 7,96%) e R$ 85.900 (redução de 0,98%).

O carro deveria ter estreado em setembro, mas o terremoto seguido de tsunami em março, no Japão, obrigou a mudanças no fornecimento de peças. E o país escolhido, a Tailândia, sofre agora as consequências de uma enchente. “Nossa fábrica está debaixo da água”, lamenta o engenheiro mecânico e relações-institucionais da Honda, Alfredo Guedes.

Dianteira manteve a identidade e traseira parece mais conservadora

Estilo dianteiro do carro 2012 (à esquerda) mudou pouco e a traseira ficou mais conservadora. Plataforma recebeu mudanças.

Olhando lado a lado o Civic atual e o 2012, a mudança mais perceptível está na traseira, que recebeu desenho mais conservador, apesar de a faixa etária dos tiozões (de 50 anos em diante) ter crescido pouco. Eles passaram de 49% em 2006 para 52% em 2010 (o ano de 2006 marcou a chegada da geração atual, que começa a se despedir).

Porta-malas aumentou em mais de 100 litros

A nona geração resolveu um problema crítico da anterior, a falta de espaço no porta-malas, que cresceu de 340 para 449 litros. Isso foi possível com o piso rebaixado pela adoção de um estepe fino, para uso temporário.

A Honda aposta no sucesso do Civic 2012 por causa da nova lista de equipamentos. O carro traz desde a versão LXS câmera para auxilio à ré, ar-condicionado digital, vidros com comando um-toque que podem ser fechados ou abertos por controle remoto (na chave) e dispositivo do tipo Isofix para prender cadeirinhas infantis.

Entre os recursos eletrônicos está o i-Mid, também de série desde o LXS, que traz relógio e hodômetros parciais com consumo médio. Um botão com a função Economia, também de série, atua no funcionamento do ar-condicionado, na abertura da borboleta de aceleração e nas trocas de marcha, no caso dos automáticos.


Civic EXS 2012 traz hands free com comando de voz e navegador com tela de 6,5 polegadas. Isofix para cadeirinhas está em todas as versões e porta-malas passou de 340 para 449 litros.

A versão topo de linha EXS vem com teto solar elétrico, navegador com tela de 6,5 polegadas no painel, sistema hands free, que permite o uso do celular por comando de voz e exibe dados do telefone na tela de navegação. O controle de estabilidade do EXS está agora integrado à direção, reduzindo a assistência elétrica e ajudando o motorista a corrigir a trajetória.

O Civic continua a ser equipado com um motor 1.8 com até 140 cv quando abastecido com etanol, mas recebeu novos pistões com saias saturadas por molibdênio (para redução de atrito com as paredes dos cilindros) e árvores de comando de válvulas ocas para redução de inércia. O Civic Si dá adeus ao mercado brasileiro. No exterior, essa versão esportiva passou a ser equipada com motor 2.4, o que o colocaria numa faixa de tributação mais alta por aqui e tornaria seu preço ainda mais alto.

Na transmissão automática (opcional para LXS e LXL), o conversor de torque também passou por mudanças para diminuir o escorregamento e tornar as trocas de marcha mais rápidas. Segundo a Honda, houve uma redução de consumo de 2,2% com as alterações feitas.

Ainda melhor de dirigir

A carroceria 2012 do Civic teve alterações importantes. Sua plataforma conserva as principais dimensões, mas recebeu a aplicação de aço de alta tensão em vários pontos. O comprimento aumentou 3,6 centímetros (passou a 4,525 metros) e a distância entre eixos diminuiu 3 centímetros (2,7 metros).

Em regra essa medida aumenta a cada nova geração para melhorar o espaço interno, mas a Honda afirma ter adotado o caminho contrário para melhorar a dirigibilidade do carro. Automotive Business pôde comparar o Civic atual e com o 2012 em um autódromo. O modelo renovado está mais na mão e as mudanças no motor trouxeram uma ligeira melhora nas respostas ao pé direito. A visibilidade para frente melhorou nessa geração porque a nova plataforma utiliza colunas “A” mais estreitas.

Com o aumento da demanda pelo Civic, o caminho natural do irmão City será a montagem argentina, que teve início este ano, mas, por enquanto, só atende ao próprio mercado. Quando as pretensões da Honda em relação ao Civic se concretizarem (produção acelerada e vendas na casa das 4 mil unidades ao mês), a montagem do City será toda redirecionada à Argentina, que hoje o produz apenas para o próprio mercado.

Sobre a volta da fábrica de Sumaré aos níveis do primeiro trimestre de 2011, Alfredo Guedes revelou: “O terceiro turno não deve voltar a operar porque tem um custo alto.”



Tags: Honda, Civic, Toyota Corolla, LXS, LXL, EXS, Isofix, Alfredo Guedes, City.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência