Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Combustíveis | 07/11/2011 | 18h25

Petrobras: Gabrielli quer atrair empresas japonesas

``Elas serão bem-vindas, mas exigiremos que 65% do capital seja nacional´´, ressalta o presidente da petroleira

Automotive Business

NOTÍCIAS AUTOMOTIVAS EM QUALQUER LUGAR
Email RSS Twitter WebTV Revista Mobile Rede Social


Redação AB

Nesta segunda-feira, 7/11, o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, apresentou a demanda da petroleira por equipamentos, logística e infraestrutura para o plano de negócios 2011-2015 na Câmara de Comércio Brasileira no Japão (CCBJ), em Tóquio.

Em seu discurso, o executivo convidou os empresários japoneses a investir no desenvolvimento brasileiro. “Ainda há espaço para as empresas japonesas virem para o Brasil. Elas serão bem-vindas, mas exigiremos que 65% do capital seja nacional”, salientou.

Gabrielli ressaltou os investimentos planejados (US$ 224,7 bilhões), os planos de aumento da produção e as oportunidades para a cadeia de fornecimento da petroleira. “De 1980 a 2011 a Petrobras aumentou em mais de dez vezes sua produção de petróleo, que crescerá de 2,1 milhões de barris para 4,9 milhões de barris por dia até 2020", disse o presidente.

“Construiremos cinco refinarias até 2020 e, para atender tal demanda, precisaremos de portos, aeroportos, plataformas de perfuração, plataformas de produção, embarcações de apoio, centenas de árvores de natal molhadas, milhares de válvulas etc. Portanto, temos de construir uma enorme infraestrutura no Brasil para os próximos anos”, afirmou.



Tags: José Sergio Gabrielli de Azevedo, Petrobras, Câmara de Comércio Brasileira no Japão, CCBJ, investimentos, US$ 224, 7 bilhões.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência